Digite para buscar

Discurso x ação

Biden proíbe viagens da Índia, após criticar Trump por proibir viagens da China

Índia, elogiada pela mídia americana como exemplo de combate da pandemia, passou a ter número descontrolado de mortes coincidentemente após vacinação em massa

Luigi Marnoto
Compartilhar
Biden proíbe viagens da Índia, após criticar Trump por proibir viagens da China

Na última quinta-feira (29/04), os críticos de Joe Biden revelaram a diferença abissal entre discurso e ação do atual presidente americano, depois que este decidiu proibir viagens vindas da Índia devido ao aumento de casos e novas variantes do vírus circulando naquele país.

Após a circulação da notícia sobre as restrições à Índia, internautas e políticos relembraram, nas mídias sociais, que, em 2020, Biden atacou o então presidente Trump por tomar medidas semelhantes em relação à China.

Em 31 de janeiro de 2020, o governo Trump havia anunciado ações para restringir viagens vindas da China durante os primeiros dias da pandemia.

O The Washington Post relatou à época: “A Casa Branca declarou ’emergência de saúde pública’ e – a partir do domingo às 17h – impedirá que cidadãos não americanos que recentemente visitaram a China entrem nos Estados Unidos, com a algumas exceções.”

No dia seguinte à ação do governo Trump, Joe Biden escreveu no Twitter:

“Estamos no meio de uma crise de coronavírus. Precisamos liderar o caminho com a ciência – não com o histórico de histeria, xenofobia e fomentação do medo de Donald Trump. Ele é a pior pessoa possível para liderar nosso país através de uma emergência de saúde global.”

Em 30 de abril, em um tuíte mais contundente, Biden escreveu:

“Um muro não vai parar o coronavírus. Banir todas as viagens da Europa – ou de qualquer outra parte do mundo – não vai impedir isso. Esta doença pode afetar todas as nações e qualquer pessoa do planeta – e precisamos de um plano de combate.”

Diante das críticas, os fact-checkers correram em defesa de Biden, alegando que o atual presidente não chegou a se opor às restrições de viagem impostas por Trump, já que os tuítes de Biden não mencionaram especificamente tais restrições.

Os checadores também alegaram que ele já havia se referido a Trump como xenófobo no passado e disseram que, meses após o tuíte do então candidato, a campanha presidencial Democrata afirmou que Biden apoiou as restrições.

Mas o fato é que Biden atacou Trump diretamente mencionando as restrições de viagem impostas à China.

Trump respondeu aos “checadores de fatos” em um tuite:

“Sempre tratei o vírus chinês muito a sério e fiz um trabalho muito bom desde o início, incluindo minha decisão inicial de fechar as ‘fronteiras’ da China contra a vontade de quase todos. Muitas vidas foram salvas. A nova narrativa do The Fake News é vergonhosa e falsa!”

A atual onda do vírus chinês na Índia é tão grave que o país foi responsável por mais da metade dos casos relatados no mundo no mês de abril. Alguns especialistas alertam que, provavelmente, esses números estão sendo subestimados.

Com informações de Daily Wire


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Luigi Marnoto
Luigi Marnoto

Luigi Marnoto é cozinheiro e só não foi guia de cego e bombeiro. Atualmente escreve no Senso em troca de uns caraminguas. É pai e avô quase exemplar e campeão de porrinha.

  • 1