fbpx

Digite para buscar

Erika Kokay defende “manifestinha” petista, e chama mega-manifestação de “aglomeração”

Compartilhar

Nada que venha do Partido dos Trabalhadores surpreende mais. O partido que comandou a corrupção no Brasil por 14 anos ainda finge que nada aconteceu. O imperativo categórico do PT é uma mão grande no bolso alheio.

Afetando virtudes indiscutivelmente imaginárias, os petistas contaminam o debate público por dispensarem a preocupação com um detalhe importante: a realidade. Seu séquito na grande mídia se encarrega de forçar alguma veracidade aos contos do vigário.

brasil-paralelo-1aarte

É por isso que a mídia independente tem o dever de desmascarar as incongruências petistas ante a realidade imediata, como no caso das manifestações de Schrodinger: aquelas que só são aglomerações e disseminam o vírus quando são a favor de Bolsonaro.

A petista Erika Kokay fez encômios efusivos ao mencionar o que ela chamou de “povo nas ruas” do 13 de maio contra o “genocida” e condenou a “aglomeração em plena pandemia” das manifestações a favor do presidente.

Corroborando a tese apresentada nos primeiros parágrafos, a petista disse que a aglomeração – que juntou muita gente, conforme se vê nas fotos – era prova de “que a popularidade de Bolsonaro está cada dia mais em queda livre”, numa sintaxe altamente rebuscada.

Na ordem atual das coisas, onde a realidade é obrigada a passar pelo crivo da mídia, quanto mais gente apoiando Bolsonaro maior é o sinal de que ele é impopular, afinal de contas, só o que vale é o padrão estatístico Datafolha, em que uma Míriam Leitão passa facilmente por uma Sophia Loren.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Carlos de Freitas

Carlos de Freitas é o pseudônimo de Carlos de Freitas, redator e escritor (embora nunca tenha publicado uma oração coordenada assindética conclusiva). Diretor do núcleo de projetos culturais da Panela Produtora e editor do Senso Incomum. Cutuca as pessoas pelas costas e depois finge que não foi ele. Contraiu malária numa viagem que fez aos Alpes Suiços. Não fuma. Twitter: @CFreitasR

  • 1