fbpx

Digite para buscar

Sobrevivente de Auschwitz recebe mensagens antissemitas após desejar “Shabat pacífico” no TikTok

Compartilhar

No último dia 14 de maio, Lily Ebert (foto), 97 anos e sobrevivente do campo de Auschwitz, postou um vídeo na rede social TikTok, de sua casa, em Londres, desejando a seus seguidores um “Shabat [sábado] pacífico”.

Pouco depois, o bisneto da Sra. Ebert, Dov Forman, 17, revelou a enxurrada de agressões que sua bisavó recebeu em sua página após a mensagem.

Entre outras barbaridades, os internautas escreveram: “Feliz Holocausto”; “paz esteja com Hitler”; “você ainda está viva [?]”; “pergunte a ela se ela acha que o tratamento dispensado aos palestinos a lembra [do] tratamento que ela recebeu nos campos”.

Forman escreveu no Twitter:

“Nos últimos dias, minha bisavó e eu continuamos a receber mensagens de ódio no Tik Tok e no Twitter. Nenhum dos TikToks foi político ou mencionou [os conflitos em] Israel.”

Lily Ebert usa as redes sociais para esclarecer seus seguidores sobre o Holocausto.

“Não permitiremos que isso nos impeça de educar sobre os horrores do passado e a que o ódio pode levar. O ódio só gera ódio”, escreveu Forman.

As agressões vêm no rastro de manifestações antissemitas que ocorrem em todo o mundo – sobretudo na Europa – partindo de militantes pró-Palestina no conflito recente no oriente médio.

Neste fim de semana, parlamentares e ativistas ingleses condenaram manifestantes pró-Palestina por exibirem cartazes com referências a Hitler e o Holocausto tais como: “Pare de fazer o que Hitler fez com você” e “Israel, o novo estado nazista.”

A Sra. Ebert – que venceu a peste chinesa após contrair o vírus em janeiro – foi libertada pelos aliados do campo de concentração de Buchenwald em abril de 1945, para onde havia sido transferida depois de sua passagem por Auschwitz, no qual viu sua irmã e sua mãe serem executadas pelos nazistas. Em liberdade, partiu para uma nova vida na Suíça.

Lily ganhou às manchetes em julho de 2020, quando passou a procurar a família de um soldado que, no momento de sua libertação aos 21 anos, lhe entregou uma nota de marco alemão com a mensagem: “desejo-lhe boa sorte e felicidade.”

Em uma entrevista ao programa Today, da BBC londrina, a Sra Ebert relatou exibindo a nota:

“Recebi algo de um soldado que não tinha um pedaço de papel para escrever (…) então ele pegou esta nota e escreveu [desejando] boa sorte para minha a vida futura”

Seu bisneto, Forman, rastreou no twitter a família do soldado Hayman Shulman, que morreu há sete anos, e eles tiveram uma conversa emocionante no ano passado através do aplicativo Zoom.

Acredita-se que cerca de 400 mil sobreviventes do Holocausto ainda estejam vivos para dar seu testemunho.

Com informações de Daily Wire


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Luigi Marnoto

Luigi Marnoto é cozinheiro e só não foi guia de cego e bombeiro. Atualmente escreve no Senso em troca de uns caraminguas. É pai e avô quase exemplar e campeão de porrinha.

  • 1