Digite para buscar

Comitê americano aponta laboratório de Wuhan na origem do vírus

Compartilhar

Na última quarta feira (19), representantes republicanos do Comitê Permanente de Inteligência da Câmara divulgaram um relatório sobre a pandemia de Covid-19 que denuncia diretamente o Instituto de Virologia de Wuhan (WIV, na sigla em inglês). O documento afirma que há “evidências circunstanciais esmagadoras” que apoiam a hipótese de que o vírus tenha se originado no laboratório chinês.

Coordenado pelo congressista Devin Nunes, membro graduado do Comitê de Inteligência, o relatório de 21 páginas sugere que o surto de SARS-CoV-2, que resultou na pandemia de COVID-19, pode ter sido a “conseqüência de um vazamento acidental do WIV, principalmente devido à ausência de informações confiáveis que apóiem uma transmissão zoonótica.”

“Infelizmente, Beijing impediu a realização de uma investigação completa e confiável. Há evidências circunstanciais esmagadoras, no entanto, para acreditar que um vazamento de laboratório deu origem à COVID-19.”

O Relatório aponta várias circunstâncias significativas para a instalação de uma investigação mais profunda do caso por parte do governo. Algumas delas são:

  • A história de vazamentos [anteriores] de laboratórios de pesquisa da China, resultando em infecções;
  • Avisos de diplomatas dos EUA na China, já em 2017, de que o laboratório de Wuhan conduzia pesquisas perigosas sobre coronavírus sem seguir os protocolos de segurança necessários, o que poderia gerar surtos potenciais;
  • Pesquisa de ganho de função [que mudam o produto gênico de forma que este ganhe uma nova função] conduzida no laboratório de Wuhan que tornou os coronavírus mais infecciosos em humanos;
  • Evidências de que vários pesquisadores do laboratório de Wuhan adoeceram com sintomas semelhantes aos do COVID-19 em novembro de 2019;
  • O envolvimento do programa militar de armas biológicas do governo chinês no laboratório de Wuhan documentado;
  • Múltiplos indícios de tentativas por parte de Beijing de encobrir as verdadeiras circunstâncias do surto de COVID-19.

Autoridades dos governos Trump e Biden já haviam dito que o governo chinês trabalhou por mais de um ano para impedir uma investigação independente sobre as origens do vírus.

Ambas as administrações lançaram dúvidas sobre a condução de um estudo conjunto realizado pela da China e pela Organização Mundial da Saúde no início deste ano.

Embora o relatório da OMS-China tenha dito que a causa mais provável da propagação da doença tenha acontecido pela transmissão de animais para os humanos, vários funcionários da saúde da administração Trump afirmaram que a causa mais plausível para a propagação do vírus seria a de um vazamento acidental laboratório de Wuhan.

O relatório conclui dizendo que, desde 2012, os membros do Partido Republicano do Comitê de Inteligência da Câmara “têm examinado a crescente ameaça à América representada pelo governo comunista chinês e pelo Exército de Libertação do Povo. (…) este relatório provisório é parte de nossos esforços contínuos para garantir que o povo americano esteja bem informado sobre esse perigo.”

“Para proteger os cidadãos americanos de futuras pandemias, o governo dos Estados Unidos deve colocar mais pressão sobre a China para permitir investigações completas e confiáveis da origem da pandemia COVID-19 e para permitir investigações sobre a probabilidade de que ela resultou de um vazamento de laboratório.”

Com informações de Washington Examiner


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Luigi Marnoto

Luigi Marnoto é cozinheiro e só não foi guia de cego e bombeiro. Atualmente escreve no Senso em troca de uns caraminguas. É pai e avô quase exemplar e campeão de porrinha.

  • 1