Digite para buscar

Pré-checa

CHECAMOS: É FAKE que atleta feminina trans machucou os testículos

O serviço de fact-checking do Senso pesquisou e viu que os bagos da atleta feminina continuam no lugar e ela vai competir com a benga 100% funcional

Compartilhar
CHECAMOS: É FAKE que atleta feminina trans machucou os testículos

Laurel Hubbard, transgênero e levantadorx de peso dx Novx Zelândix não está com os bagos quebrados, segundo apuração do serviço de checagem de fatos do Senso Incomum.

Ao contrário do que sites da alt-right mundial dizem, x atletx está com o jaramalho intacto e pleno funcionamento de suas bolas femininas.

A prova de que Hubbard está em perfeitas condições de saúde é uma petição, que já conta com mais de 35 mil assinaturas de extremistas obscurantistas anti-ciência, solicitando a suspensão das políticas de transgêneros do Comitê Olímpico Internacional e o impedimento da participação de Hubbard nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em agosto.

Alguns membros da comunidade de levantamento de peso argumentam que a política não garante uma concorrência justa. O critério determinante – uma leitura máxima de 10 nanomoles de testosterona por litro – é uma taxa pelo menos cinco vezes maior do que a encontrada em uma mulher biológica.

A levantadora belga Anna Van Bellinghen, que provavelmente irá competir contra Hubbard, disse que a presença dx atletx da Novx Zelândix seria “como uma piada de mau gosto” para as mulheres concorrentes.

Fascistas! Não passarão!

Com informações de Breitbart News


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Senso Incomum

Senso Incomum é um portal de idéias e opiniões contra a corrente de pensamentos automáticos da última moda. Apenas com uma âncora se pode navegar mais longe, ao invés de boiar à deriva. Siga no Twitter: @sensoinc e no Facebook: /sensoincomumorg.

  • 1