O podcast "Braincast" criticou quem não agüenta mais a modinha censora politicamente correta. Fazer mimimi virou uma forma de ter poder.

Guten Morgen, Brasilien! Neste episódio do Guten Morgen, o podcast do Senso Incomum, discutimos um episódio de outro podcast, o Braincast, que comentou a onda do politicamente correto e seus efeitos na publicidade.

Politicamente correto trata-se de censura, de um novo moralismo autoritário – mas nas mãos de jovens, dando risada e achando que estão criando um “mundo melhor”.

Hoje, fazer mimimi gera poder sobre outras pessoas. Acabamos vivendo numa verdadeira Mimimicracia. Basta se fazer de “vítima oprimida”, mesmo sendo um publicitário ricaço dono de agência que nunca sofreu na vida, para poder calar qualquer pessoa que discorde de você.

E é este o seu efeito mais nocivo: ser uma arma poderosa de cercear a liberdade de expressão de seus adversários, mas tudo jovem, tudo cool, tudo descolado, tudo dando risadinha de satisfação pagando de antenado com a galera.

Será que os efeitos dessa censura são realmente “melhores” do que das censuras moralistas do passado?

Ouça no quinto episódio do Guten MorgenA produção é de Filipe Trielli, do estúdio Panela Produtora.

Contribua para manter o Senso Incomum no ar se tornando nosso patrão através de nosso Patreon – precisamos de você!

Não perca nossas análises culturais e políticas curtindo nossa página no Facebook 

E espalhe novos pensamentos seguindo nosso perfil no Twitter: @sensoinc





  • Alessa Mesquita

    Gente, cadê o podcast??? :'(

  • Alexander Schwarz

    Não se esqueça de mencionar João Vicente de Castro e a turma do Porta dos Fundos, Papo de Segunda, Saia Justa e outros “artistas” que tem se esmerado na balela politicamente correta, para exercerem o seu “poderzinho”!

  • Wlad Villanova

    Show de bola!

  • Obstacle Capital

    Os EUA realmente estão “avançados” nesse quesito: o pêndulo já atingiu o máximo do politicamente correto faz uns anos, e agora existe um repúdio gigantesco contra essa onda PC. Como sempre as coisas chegam com um delay aqui no BR.

    A grande ironia da coisa é o fato de que a mimimicracia é idêntica ao puritanismo religioso com um viés facista. Você resumiu bem com a definição do Mencken: “Puritanismo é aquele pavoroso medo de que alguém, em algum lugar, possa estar sendo feliz”.

Sem mais artigos