Há uma narrativa de que "Lula foi condenado sem provas". Conversa de petistas para tapear eleitores: não faltam provas documentais no caso.

A narrativa atual feita pelos petistas e pela esquerda diante da condenação de Lula pelo juiz Sérgio Moro, já que o mito do “Lula dos pobres” foi desfeito, é a de que o ex-presidente teria sido condenado “sem provas”, tão somente usando-se a força da lei para impedir que Lula disputasse as eleições de 2018.

PUBLICIDADE

A narrativa (e tudo o que importa em política, como em boa parte da vida, são narrativas) é complementada com tentativas de associar o juiz Sérgio Moro aos adversários eleitorais do PT, o PSDB (que só apoiou o impeachment de Dilma depois de toda a sociedade), além da Rede Globo, que é incalculavelmente mais pró-PT do que anti-PT.

Assim, petistas tentam comparar a condenação de Lula, com as provas documentais do caso do triplex (incluindo documentos na casa de Lula em São Bernardo, que são provisoriamente “esquecidos” na hora de engabelar o povo), com as provas contra Aécio e Temer. O primeiro é uma anta o suficiente para deixar pastas com a sigla “cx 2” em sua casa (sic). O segundo tem contra si, justamente, a Rede Globo, que fez um auê desgraçado sobre uma frase de Temer gravada por Joesley Bastista, que nem comprovou tanto o sentido que a Globo (e o país) queria que tivesse.

Mas, bem ao contrário da típica narrativa petista, abundam provas documentais, além das testemunhais e circunstanciais, no caso da condenação de Lula. O que a Justiça tem de fazer é montar um todo coerente, mostrando que qualquer outra visão (como a de que Lula não usufruiu do triplex) possui incoerências. E assim o fez.

PUBLICIDADE

A decisão do juiz Sérgio Moro possui 218 páginas. É hilariante pensar que qualquer petista a tenha lido em 2 minutos antes de sair esbravejando no Twitter que “Moro condenou sem provas” para a militância roboticamente repetir, no conhecido processo de dog whistle. Até falando do “terno preto cafona” e da “voz que não combina com a cara” de Sérgio Moro. E olha que era ninguém menos do que o breguíssimo Big Brother Jean Wyllys tentando dar lição de elegância.

Há provas que precisam tão somente de contextualização. Por exemplo, Lula ter informado à Justiça Eleitoral que pagou R$ 47.695,38 pelo apartamento. Um vizinho pagou em torno de R$ 925 mil pelo mesmo apartamento, mostrando que Lula foi beneficiado através de desconto na folha de propina da OAS. Não é preciso muito esforço para entender o caso, seria uma questão de matemática no vestibular que até quem faz Letras acertaria.

Há prova documental de memorial descritivo que aponta a uma reforma estrutural do triplex, mostrando que é o único com elevador privativo. Além de prova documental sobre a instalação da cozinha.

Algumas outras só precisam ser analisadas pelas circunstâncias, decorrendo das provas materiais para que sejam entendidas. Por exemplo, o fato de o triplex nunca ter sido colocado à venda (então, quem teria mandado fazer a reforma? quem seria “o chefe” e quem seria “a madame”?), a um só tempo em que Lula nunca tenha negociado, em momento algum, o preço do triplex.

Há ainda documentos apreendidos na sede da Bancoop, cooperativa aboletada de petistas que deu o calote em mais de 3 mil famílias, que pagaram por casas que nunca tiveram, enquanto Lula achava que um triplex no Guarujá era um apartamento “muito apertado” para sua família passar um fim de semana (presidente dos pobres que tirou trilhões da miséria etc, sem ressarcimento e condenações até hoje). É a Bancoop que faz a triangulação e passa o imóvel para a OAS.

Reportagem d'O Globo de 2010 sobre o triplex no Guarujá de Lula

É por isso que jornalistas safados, apostando na ignorância de seus próprios leitores, soltam manchetes recortadas da realidade, como “Moro usou reportagem do Globo como prova”, crendo muito acertadamente que seus leitores são ignaros estúpidos, sem dizer que a citação só comprova que Lula usava o triplex como seu, e não que isto foi usado como “documento”.

Apenas para corroborar as provas documentais vão sendo adicionadas outras provas, como os testemunhos, mensagens, manuscritos com códigos etc. É aí que são analisadas, por exemplo, mensagens no celular de Paulo Gordilho, arquiteto e ex-executivo da OAS, citando reformas em “sítio” e “praia”. Ou no celular de Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, se referindo ao projeto do “chefe” e para marcar com a “madame”. Ou ainda testemunhos de funcionários da OAS e do edifício Solaris declarando que Lula e Marisa eram tratados como donos do apartamento, e não “prováveis compradores que nunca adquiriram o triplex”.

A defesa de Lula insiste em uma tese para chamar a patuléia ignorante para as ruas, sabendo que os eleitores de Lula são ignorantes e se surpreendem com palavras, sem conhecer seu significado. É a tese de que o apartamento está em nome da OAS, portanto, “não é de Lula”. Jornalistas do porte de colunistas do Estadão, ao invés de estudar minimamente mais do que uma criança, compram e espalham a advocacia de Lula.

Como já explicamos, Lula é investigado, entre outros, pelo crime de ocultação do patrimônio, ou seja, escondeu da Justiça um patrimônio, usufruindo-o na vida concreta sem tê-lo comprado legalmente. Qualquer um pode comprar um bem se puder pagar por ele. Já não se pode receber vantagens indevidas de alguém que comprovadamente recebeu benesses do PT de Lula (tanto que até teve de devolver o dinheiro) na forma de propina. Tudo isto está provado com documentos, e ainda corroborado com testemunhos e contextualizado por circunstâncias.

Ainda que Lula tivesse o apartamento em seu nome, se o tivesse recebido como “presente” da OAS, como os próprios valores, reforma, intenção da empreiteira e confissões de culpa dos envolvidos e presos por isso o confirmam, ainda assim Lula estaria cometendo um crime. Apenas Lula confiou que uma mera triangulação disfarçaria o caso para a Justiça, que tanto fechou os olhos aos seus desmandos anteriores.

O próprio Sérgio Moro explicou a questão irrefutavelmente.

É claro que ainda há pasto e circunstância para interpretações bovinóides, que nas ganas de tentar defender Lula per fas et per nefas, acabam não percebendo que confessam a culpa do chefe da quadrilha.

Por fim, sobretudo nas manjadas comparações com Temer e Aécio (“há provas, não apenas testemunhos!”), petistas dos mais variados quilates vão repassando às classes mais baixas do seu estamento hierarquizado em vertical a noção de que “não há provas” contra Lula, pois só há “depoimentos”.

Em primeiro lugar, confissão é prova. Não é apenas prova: como diz o brocado jurídico, confissão é a rainha das provas Confessio est regina probationum. Ao tentar tratar testemunhos como “não-provas”, petistas tratam seus próprios fãs como retardados, tapados facilmente manipuláveis por palavras chocantes.

Ninguém confessa e aumenta sua própria pena à toa. O showzinho feito por petistas que estão com o seu na reta, repetido por jornalistas com pouco uso de sua massa cinzenta, emulado por professores, sindicalistas e autoridades locais e, por fim, macaqueado pela militância com pouco estudo, ignora tal obviedade.

É como se Léo Pinheiro, Marcelo Odebrecht, João Vaccari (além de ex-tesoureiro do PT, ex-presidente da Bancoop) et caterva de repente tivessem virado, digamos, reacionários direitistas conservadores (talvez até meio Bolsonarianos) e quisessem ferrar Lula (“perseguição“, não é esta a palavra que usam?) tão somente pelo prazer de destruir a carreira de um “inimigo”.

A única coisa que estão fazendo é provando o esquema do qual participaram, no qual se refastelaram e enriqueceram (e delação premiada sem provas é anulada), e no qual, por ventura, para desgosto de quem vê em Lula um santo, o próprio Lula foi não apenas partícipe, mas maestro.

A única forma de o PT tentar enganar seu público é crendo que todos os delatores, que nem podem ficar sabendo das delações uns dos outros antes de delatarem, são na verdade direitistas mancomunados que combinaram de antemão uma história golpista e, por mera coincidência, estão todos a falar que Lula é culpado. Pela Teoria da Mera Coincidência.

Não há inteligência capaz de comprar esse disco riscado repetindo acerebradamente que “Lula foi condenado sem provas” e nunca ir além da martelação contínua dessa frase oca jogada à canalha. Caso você ainda seja petista, está na hora de rever se seus ídolos não o tratam como um imbecil inepto tão facilmente tapeável e substituível por alguém mais útil caso a ocasião mude.

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • Manu Ela

    Só os petistas não entendem!

  • Manu Ela

    Fanatismo emburrece!

  • Paulo Ferreira

    Mas é claro que o Lula é dono do imóvel, não sei como tem idiotas que ainda vem com este papo furado de que não há provas contra o Lula.

  • .

    ASCENSÃO E TOMBO
    .
    Hoje vim trazer-lhes flores
    Com pétalas disformes
    Flores secas sem olores
    E também sem pólen
    Para separar as páginas
    Da biografia trágica
    Que retrata o assombro
    Da história com o título:
    ‘O Presidente ilegítimo
    Ascensão e tombo’.
    .
    Um parasita contumaz
    E mero ser decorativo
    Acostumado a ficar atrás
    Dos poderosos políticos
    Para longe das câmeras
    Fazer tramoias e chicanas
    Mantendo a nefasta figura
    De vampiro monetário
    Que suga o erário
    Passando longe das urnas.
    .
    Traidor-mor da República
    Que como reles facínora
    Superou o miserável Judas
    Ao dar um beijo em Dilma
    Entregando-a aos criminosos
    Que com acordos ardilosos
    Abreviaram o seu mandato
    Para em troca de favores
    Retirarem dos trabalhadores
    Os direitos conquistados.
    .
    Ao ver-se envolto em denúncias
    E execrado pela plateia
    Negociou a sua renúncia
    Para safar-se da cadeia
    Propôs entrar para a história
    Como ícone da escória
    Contanto que longe do cárcere
    Mas o povo disse sem medo:
    ‘De Judas faça arremedo
    E pendure-se numa árvore’.
    .
    Eduardo de Paula Barreto

  • Thiago Coimbra

    Você malandramente está usando um conceito do direito civil pra livrar a cara de um bandido na seara criminal. Acha que por conhecer rudimentos de alguns conceitos jurídicos pode convencer alguém da sua tese furada, sem base na realidade. Esse é precisamente o erro: distanciar-se do contato com a realidade e viver em um mundo em que tudo é símbolo, conceito ou descrição, os quais, se reorganizados, encaixam-se em qualquer narrativa que te seja útil. Dica: as pessoas comuns não pensam assim, pois vivem na realidade do trabalho, da família e das dificuldades do dia-a-dia. Sua tese morreu antes de nascer.

    • Renato Dias

      Qual parte do “eu não acho que ele seja inocente” V.Sa. não conseguiu entender? Terei que desenhar?

      • Renato

        Então pela sua lógica se eu ganho um automóvel zero km e o deixo na garagem sem utilizá-lo, esse automóvel não é meu porque eu não usufruí dele. Absurdo.

  • Carlos Alberto Guedes Pereira

    Não precisava, mas foi bom o Juiz Sérgio Moro gastar 238 folhas na sentença do molusco. Não precisamos buscar outras fontes, lá encontramos as sandices do canalha e de seu advogado e as devidas rebarbadas do Moro. É só fazer o filme, o roteiro está escrito.

  • Renato Dias

    Sinceramente, não acho que o ex-presidente seja inocente. Porém, as ditas provas usadas no processo são todas indiretas. Recebeu como pagamento de propina, um apartamento que não está em seu nome (aliás, foi dado em garantia para a CEF), Recebeu vantagens na manutenção e guarda do acervo (se for condená-lo, se deve condenar também seu antecessor(FHC)?). Não houve acréscimo financeiro em seu patrimônio.
    Ou seja, só se tem provas indiretas.

    • Você acha que propina estaria em nome dele? Então você não sabe o que é propina. FHC que seja preso, torturado, morto etc – ele não interessa ao caso. E como não houve acréscimo? Onde um triplex. Se ele não o registra em seu nome, é só porque está escondido da Justiça. Logo, a prova é DIRETA.

  • biancavani

    Off topic: Flavio e amigos do site, além de os imigrantes, a rigor, invasores) trazerem o terrorismo, o objetivo de impor a Sharia e as consequências naturais da ocupação absurdamente desproporcional do espaço por hordas do sexo masculino (em qualquer espécie animal isso é desastroso), agora temos notícias da propagação de doenças trazidas pelos invasores. Eis o link do Gatestone Institute https://www.gatestoneinstitute.org/10676/germany-migrants-infectious

  • Eduardo Ferreira

    Flavio, vcs bem que poderiam fazer um podcast sobre educação. Principalmente sobre como começar uma vida de estudos, como desenvolver a virtude da estudiosidade, indicar uns 1.000.000 de livros pra começar a nosso reeducação e etc. Isso seria muito legal de sua parte.

    • Carlos Caramujo

      Educação tem de ser livre, em casa, sobre qualquer assunto, e as devidas certificações específicas têm de ser exigidas pelo mercado de trabalho.

      Feito.

  • André Jacques

    Tá “sertu”!

  • Martin J Shead

    Um dia, podemos adicionar Lula a esta lista! 🙂
    LAVA JATO EDM

  • Matheus

    Flavio Morgenstern, você podia fazer um Guten Morgen falando sobre a historia do conservadorismo, seus pensadores, Edmund Burke, Roger Scruton, etc. Seria muito interessante. Parabéns pelo seu trabalho.

  • Ilbirs

    Atualizemos os vídeos, pois temos um do Nivaldo Cordeiro, que sabemos gravá-los de de vez em quando em de vez em quando, mas sempre solta palavras importantes:

    Assim como também a fala de Paulo Eduardo Martins:

    Há também um vídeo de Paula Marisa e Steh Papaiano que analise inclusive a possibilidade de uma condenação de Lula com prisão ser usada como forma de avançar a agenda comunista:

  • Cézar Augusto Photos

    “…uma questão de matemática no vestibular que até quem faz Letras acertaria.”
    Poxa, magoou! Kkk

  • Michael Kohlass

    Parabéns Morgenstern pelo ótimo artigo, sintetizando o apanhado de argumentos utilizados como diversionismo político para convencer apenas quem tem preguiça de procurar informações em suas fontes ou para quem é cego pela narrativa de esquerda, agindo e se manifestando hipocritamente.

    Quem iniciou essa narrativa de polarização política em um processo eminentemente jurídico foi a própria esquerda, que tentou, através da mídia marrom colar a ideia de que o juiz Sérgio Moro e todos os integrantes da força-tarefa da Lava Jato estavam imbuídos de convicções e pretensões que exorbitavam suas prerrogativas jurídicas, endossada pelo Supremo Tribunal Federal com as declarações despropositadas de excesso de poder por parte dos juízes de primeira instância.

    A partir dessa decisão, há chances concretas de emendas malfazejas por parte do TRF-4, dadas decisões passadas recentes por esse mesmo tribunal, e um completo desvirtuamento ou, o que é ainda pior, uma demora despropositada por parte do STF em endossar a decisão tomada ou em reforma-la completamente.

    O que a sociedade deve pedir é celeridade na decisão após o recurso com efeito suspensivo ao tribunal de segunda instância, e uma atenção redobrada em relação ao Supremo.

    Reitero as congratulações.

  • José Paulo

    “Tenho medo” de passar o link adiante, vai que entendam…

Sem mais artigos