Sou PSOL

Deputada do PSOL na Alesp: “Sou puta! (…) Porque um homem que não me faz gozar, e não é gozo de buceta que tô falando…”

A deputada Isa Penna diz que é um "rótulo sobre o que é ser mulher". Não confunda as mulheres com seu eleitorado, queridinha...

Na tarde desta quarta-feira (2), na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP), a deputada Isa Pena (PSOL) recitou os seguintes versos:

“Sou puta. Quando uso a boca vermelha. Meu salto agulha. E meu vestido preto. Sou puta. Mordo no final do beijo”, de Helena Ferreira.

A psolista foi interrompida por Valéria Bolsonaro (PSL), advertida por Cauê Macris (PSDB), presidente da Casa, e Douglas Garcia (PSL) disse que cassaria o seu mandato por quebra de decoro parlamentar.

De acordo com o jornal O Globo, Isa Penna recitou esses versos como protesto ao projeto de lei que define critério biológico como único princípio de seleção de jogadores em atividades esportivas. Essa PL obrigaria a Tiffany, o trans do volei feminino, ser atleta do masculino.

Após o vídeo viralizar nas redes sociais, a psolista disse que o poema “se relaciona muito com os rótulos sobre o que é ser mulher”.  Com certeza, ela está confundindo as mulheres com o seu eleitorado.


O Senso Incomum agora tem uma livraria! Entupa sua estante, fique mais inteligente e perca mais amigos aqui.

Publicidade
Sem mais artigos