Lacra Costa

Se fake news fosse crime, Petra Costa teria uma pena do tamanho da do Champinha

A cineasta concorrendo ao Oscar de "melhor documentário" critica fake news falando em notícias de que ninguém nunca tinha ouvido falar

Publicidade

A cineasta petista é um dos casos mais gritantes da benevolência da mídia em relação à fake news.

Conforme já exposto em três matérias no nosso site, Petra Costa já pontificou, entre outros delírios, que: a taxa de homicídio policial subiu; que, em breve, a Amazônia virará uma savana; que evangélicos foram responsáveis pelo aumento do racismo.

Também checamos as agências de checagem e notamos que o que importa não são os fatos, mas a narrativa de quem diz o que é fato.

Porém, todas as fake news ditas por Petra foram solenemente ignoradas pela imprensa e as agências de ‘fact-checking’.

Com tantas provas assim, a diretora de “Democracia em Vertigem” seria uma ótima candidata a comparecer à CPMI das Fake news. Mas como é notório, a CPMI também não está interessada em notícias falsas, mas em quem propaga notícias.

Faça um exercício hipotético: se fake news fosse realmente crime, a quantos anos de prisão Petra seria condenada?


Conheça a importância da Primeira Guerra Mundial assinando o Guten Morgen Go – go.sensoincomum,org!

Publicidade
Sem mais artigos