Zumbi escravizava

Movimento negro quer transformar os negros em macumbeiros e pagodeiros

Sérgio Camargo está certo: Zumbi dos Palmares escravizava preto e Fundação Palmares só criava eleitor do PSOL

Publicidade

O Estadão publicou ontem, 2, áudios furtados do presidente da Fundação Palmares, Sergio Carmargo, por antigos funcionários no intuito de prejudicá-lo.

Camargo criticou o movimento negro e os antigos funcionários da Fundação que utilizavam dinheiro público para propagar divisão racial na sociedade brasileira e doutrinação ideológica:

“Nosso inútil movimento negro tenta importar para o Brasil os atos anarquistas e criminosos do Black Lives Matter, a antifa negra dos EUA.”

Importante ressaltar que o movimento negro não representa a maioria dos negros, da mesma maneira que o feminismo não representa a maioria das mulheres. São apenas braços ideológicos da esquerda.

Qualquer negro que discordar do movimento negro, terá tratamento pior do que um branco nazista de esquerda.

“Esses filhos da puta da esquerda não admitem negros de direita. Vou colocar meta aqui para todos os diretores, cada um entregar um esquerdista. Quem não entregar esquerdista vai sair. É o mínimo que vocês têm que fazer.”

Sabemos que se fosse um esquerdista na função de Sergio Camargo, nenhum direitista seria admitido na Fundação. O próprio áudio furtado e entregue para um jornalista do Estadão, segundo Camargo, mostra a índole dessa gente.

“Não tenho que admirar Zumbi dos Palmares, que, para mim, era um filho da puta que escravizava pretos. Não tenho que apoiar agenda consciência negra. Aqui não vai ter, vai ter zero da consciência negra. Quando cheguei aqui, tinham eventos até no Amapá, tinha show de pagode no dia da consciência negra.”

Na intenção de propagar apenas a agenda ideológica, a esquerda toma o escravagista Zumbi dos Palmares como ícone do movimento negro. Porém, na própria época de Zumbi, existiam milhares de brancos contra a escravidão e negros que lutavam contra essa injustiça sem escravizar seus irmãos de cor.

“Não vai ter nada para terreiro na Palmares enquanto eu estiver aqui dentro. Nada. Zero. Macumbeiro não vai ter nem um centavo. Eu não vou querer emenda dessa gente aqui. Para promover capoeira? Vai se ferrar.”

Em todos esses anos, a Fundação Palmares promoveu apenas show de pagode, macumba e capoeira como símbolos autênticos de uma elevada cultura universal.

No entanto, tudo isso é palha perto de Aleijadinho, Gonçalves Dias, Machado de Assis, Capistrano de Abreu, Cruz e Sousa, Lima Barreto, entre outros que superaram seu provincianismo e dialogaram com a cultura universal e atemporal.

Porém esses nomes não servem para o movimento negro, pois não se enquadram no espírito vitimista e não servem para agenda ideológica da esquerda.

Olavo de Carvalho, em artigo escrito para a Folha de S. Paulo, A verdadeira cultura negra, questiona como esses nomes citados acima, conseguiram vencer uma sociedade escravocrata, enquanto seus descendentes, “desfrutando das liberdades republicanas, paparicados pela ‘intelligentsia’ universitária, não conseguem hoje produzir senão samba, funk e macumba e ainda se gabam de suas desprezíveis criações como se fossem elevadíssima cultura?”

O movimento negro quer transformar todos os negros em eleitores do PT e PSOL. Dizem lutar pela liberdade do negro, mas não aceitam a liberdade de Sergio Camargo.

Apesar de o Estadão ter revelado esses áudios como se fosse uma bomba, acabou por ter o mesmo efeito do Sergio Moro revelando os prints da Carla Zambelli no jornal nacional.


Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Publicidade
Sem mais artigos