Discurso de ódio

Portaria da Polícia Civil de SP proíbe “manifestar apoio a conteúdo ou informações inverídicas (fake news)”

Polícia paulista é submetida ao que políticos como o governador João Doria considerem impublicável por ser "inverídico". Bastará chamar uma investigação de "fake news" para calar e punir policiais

A Polícia Civil de SP lançou uma portaria ontem, 7, que regula a atuação de membros da corporação nas redes sociais.

Os policiais podem utilizar as redes, mas sem se identificar como membros da corporação:

Os agentes não poderão “usar brasão, banner ou qualquer outro símbolo oficial da Polícia Civil de São Paulo”.

O texto diz ainda que os agentes da lei não podem “compartilhar ou manifestar apoio a conteúdo ou informações inverídicas (fake news)”.

A portaria não define o que é fake news e quem será a autoridade que irá julgar a informação.

Em outro trecho, a portaria proíbe o policial de “emitir ou compartilhar opinião que caracterize ou demonstre tolerância a discurso discriminatório ou de ódio”.


Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Publicidade
Sem mais artigos