LOADING

Type to search

Globo fake

Maju Coutinho será chamada na CPMI das Fake News?

Apresentadora da Globo ignora minuto de silêncio em evento sobre peste da china para manipular a opinião de seus telespectadores

Avatar
Share
majucooo

O show de horror à vida promovido pela Rede Globo parece não ter limites. A manipulação de reportagens, usando quase sempre o apelo emocional mais barato, é a característica mais marcante da emissora. 

Nas discussões sobre armas, aborto e até no enternecido amplexo dado por Drauzio Varella no estuprador e assassino de uma criança, a Globo não mede esforços para subverter e criar disfunções cognitivas na cabeça de seus telespectadores.

No jornal Hoje, de segunda-feira (24 de agosto de 2020), a jornalista Maju Coutinho, ao comentar uma cerimônia do governo sobre o combate à Covid-19, disse que nem o presidente, nem as autoridades do governo presentes, prestaram solidariedade às vítimas da doença.

Num sentido bisonhamente estrito, a fala está adequada aos padrões Globo de manipulação da informação. Não foi nem o presidente, nem as autoridades do governo, que puxaram a homenagem, cabendo a uma médica convidada. Na mundivisão do grupo Globo apenas o árbitro, por exemplo, ou a autoridade que determinou, é que presta solidariedade quando decreta um minuto de silêncio antes de uma partida. 

A retratação – que eles chamam de esclarecimento – deixa clara a insistência infantil da emissora em deturpar a realidade. Para o grupo Globo, que explorou o pânico na pandemia como ninguém, só aquelas homenagens bem politiqueiras é que valem. Parece que a falta de grana estatal fez escoar os últimos resíduos de dignidade da emissora. Já vai tarde.

 


Seja membro do Brasil Paralelo e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Tags:
Avatar
Carlos de Freitas

Carlos de Freitas é o pseudônimo de Carlos de Freitas, redator e escritor (embora nunca tenha publicado uma oração coordenada assindética conclusiva). Diretor do núcleo de projetos culturais da Panela Produtora e editor do Senso Incomum. Cutuca as pessoas pelas costas e depois finge que não foi ele. Contraiu malária numa viagem que fez aos Alpes Suiços. Não fuma. Twitter: @CFreitasR

  • 1