Digite para buscar

Efeitos colaterais

New York Times alerta para suicídios e auto-mutilações durante lockdown

Enquanto Maju Coutinho diz que "o choro é livre", até o jornal ultra-esquerdista relata o drama de famílias de luto por suicídios após sucessivos lockdowns

Avatar
Compartilhar
lockdowlond

Estamos em plena era da insanidade. Mesmo sem negar a gravidade do vírus, vale se perguntar qual o custo de se empatar a vida por completo para que um vírus, cujo índice de mortalidade ainda é muito baixo, seja contido.

Quais os danos em todas as outras instâncias da vida, aquela que de fato queremos viver? É bastante confortável para quem tem muitos metros quadrados à sua disposição exigir que todos se sacrifiquem por ele, o slogan mais piegas e retardado de todos: “fique em casa!” 

Segundo o ultra-esquerdista New York Times, os danos já começam a preocupar. Segundo matéria publicada em 27 de março e atualizada dia 29, os suicídios e a auto-mutilação de jovens começaram a aparecer.

A matéria relata o caso de um jovem que, sem perspectivas, tirou a própria vida. Sua irmã disse: “não são só pessoas morrendo num hospital; são pessoas morrendo dentro de casa.” 

O próprio jornal diz: “há uma contagem que os especialistas dizem ser mais difícil de rastrear: o prejuízo psicológico de meses de isolamento e sofrimento global, que para alguns foi fatal.”

O que não se pode é negar que o indivíduo tem uma necessidade fisiológica também de liberdade. O encarceramento forçado, sem que nada se tenha feito para tanto, causa uma série de desordens mentais e está afetando grande parte da população mundial.

Líderes mesquinhos e sanguinários não dão a mínima para isso. Quanto mais lockdown, melhor para seus planos diabólicos. 

E a turma da “siência”, que vê efeito colateral numa mísera aspirina, jamais olhou para os gravíssimos efeitos colaterais reais que estão destruindo vidas.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Avatar
Carlos de Freitas

Carlos de Freitas é o pseudônimo de Carlos de Freitas, redator e escritor (embora nunca tenha publicado uma oração coordenada assindética conclusiva). Diretor do núcleo de projetos culturais da Panela Produtora e editor do Senso Incomum. Cutuca as pessoas pelas costas e depois finge que não foi ele. Contraiu malária numa viagem que fez aos Alpes Suiços. Não fuma. Twitter: @CFreitasR

  • 1