Digite para buscar

Estado policial

Polícia australiana vai a casas de pessoas suspeitas de que possam se manifestar

O Minority Report brasileiro chegou à Austrália: se a polícia suspeitar de que você pode discordar do governo, ela vai bater na sua casa. Será que tem CPI por lá?

Compartilhar
Polícia australiana vai a casas de pessoas suspeitas de que possam se manifestar

Circula um vídeo nas redes sociais em que um cidadão australiano é interrogado na porta de sua casa – um “papo amigável” segundo os policiais – por ser suspeito de planejar ir a uma manifestação contra o lockdown.

O vídeo foi comentado pelo jornalista britânico Paul Joseph Watson, do portal Summit News.

Veja o vídeo abaixo e sua transcrição em português.

A “ilha-prisão” da Austrália está mantendo seus “presos” sob controle ao enviar a polícia do pensamento aos domicílios das pessoas que eles suspeitam que possam estar planejando comparecer a um protesto.

Assistir a um protesto, oh meu Deus, o horror absoluto!

Policial: Estamos aqui, obviamente, para saber apenas sobre os protestos recentes que estão surgindo [inaudível]… apenas para verificar a segurança pública e algumas coisas que você está planejando fazer.

Cidadão interrogado: Eu não estou sabendo de nada.

Policial: Não?

Cidadão: Não.

Policial: Algum plano de protesto que você conheça?

Cidadão: Não senhor, suponho que não.

Policial: Isto é só um papo amigável.

Apenas um papo amigável! Porque é perfeitamente normal em um país livre ter três policiais na sua porta porque acham que você pode estar pensando em criticar o governo. Totalmente diferente da Coreia do Norte ou algo assim!

Policial: Então você está ciente de quaisquer planejamento de protestos ou eventos que estejam ocorrendo?

Cidadão: Não.

Policial: Não, ok. Você está circulando alguma comunicação entre as pessoas sobre o planejamento de protestos, sabe de algum protesto futuro?

Cidadão: Não.

Policial: Não? Você usa alguma plataforma [rede social] ou algo assim para se comunicar?

Cidadão: Não.

Bem, agora não é nem se você vai comparecer a um protesto. É se você se atreveu a PENSAR em MENCIONAR algo nas redes sociais!

Policial: Você já foi a um protesto?

Cidadão: Não. Eu não vou responder isso. Caso contrário, vocês não estariam aqui.

Policial: Tudo bem.

Cidadão: Eu gostaria de saber como você conseguiu este endereço.

Policial: Ok. Qualquer outra coisa que você… gostaria de… diga-nos no que podemos ajudar para garantir a segurança pública…

Eles querem apenas manter as pessoas em segurança. Como quando eles jogam spray de pimenta no rosto de uma idosa ou disparam balas de borracha contra manifestantes. É para sua segurança.

Cidadão: Tirando aqueles em quem vocês atiraram com balas de borracha, como lá em Victoria, estamos todos bem.

Policial: E essa também é outra razão pela qual estamos preocupados. Não queremos que aconteça o que está acontecendo em Victoria, não queremos que isso signifique um recrudescimento.

Cidadão: Sim, claro.

Policial: Você sabe que estamos apenas nos certificando de que a sua segurança é a segurança de todos os outros.

Todo mundo estará muito seguro, contanto que a polícia do pensamento garanta que todos fiquem em casa e não se atrevam a pensar em falar sobre um protesto. Todo mundo vai ficar tão seguro.

Kerry Chant*: Não comece uma conversa

Não se esqueça de que eles realmente aprovaram uma legislação em que as pessoas que simplesmente postam sobre protestos nas redes sociais podem enfrentar multas de até AU$ 11 mil.

Eles mandam policiais às casas de mulheres grávidas e as prendem na frente de seus filhos se ousarem falar sobre um protesto no Facebook.

A Austrália morreu. Não pode mais se classificar como um país democrático. E isso deveria ser um ultraje internacional. Enquanto isso, bandidos fardados distribuíram mais brutalidade policial aos trabalhadores da construção que se manifestavam em Melbourne. E se eu mostrasse o que eles fizeram, este vídeo teria restrição de idade ou seria banido, então verifique na descrição abaixo e não se esqueça de clicar no botão de inscrição para atualizações regulares.

*Secretária de Saúde do Estado de Nova Gales do Sul, Austrália


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1