Digite para buscar

Peste, fome e guerra

Comando Estratégico dos EUA não descarta conflito nuclear

Alto Comando militar americano apresenta relatório no Senado dizendo que o país tem de se preparar para cenário de possível conflito nuclear com Rússia ou China

Avatar
Compartilhar
EUA se prepara para conflito nuclear

Um tuíte postado na madrugada desta terça-feira (20) pela conta oficial do Comando Estratégico dos EUA (USSTRATCOM), órgão do Departamento de Defesa americano, adiantou parte do conteúdo do relatório anual apresentado horas depois ao Comitê de Serviços Armados da Câmara e do Senado.

“O espectro do conflito hoje não é linear nem previsível. Devemos levar em conta a possibilidade de conflito levando a condições que podem levar (…) um adversário a considerar o uso nuclear como a opção menos ruim.”

Em outras palavras, o órgão de defesa avisa que o cenário atual é imprevisível e que não descarta um conflito nuclear entre a América e países adversários.

O relatório é feito em conjunto com outros órgãos do Departamento de Defesa, e foi apresentado no Congresso pelo chefe da USSTRATCOM, almirante Charles Richard (foto), e do Comando Espacial (USSPACECOM), general James H. Dickinson.

“Pela primeira vez na história, o país está enfrentando dois adversários com capacidade nuclear ao mesmo tempo, os quais devem ser dissuadidos de forma diferente”, disse Richard aos parlamentares, se referindo à Rússia e à China.

O relatório anual da USSTRATCOM, em inglês Posture Statement, é uma espécie de análise de contexto, em que o Comando apresenta as estratégias do órgão e atualiza o orçamento para o próximo ano. Ele também fornece informações sobre prováveis conflitos no futuro e sobre sua prontidão para o combate. O almirante quatro estrelas continuará seu testemunho na tarde de quarta-feira (21).

Antes de sua audiência com parlamentares, o general Dickinson escreveu artigo ao portal The Hill, em 04/04, dizendo que o país está se preparando para uma guerra que nunca lutou antes.

“O Comando Espacial dos Estados Unidos enfrenta um dilema único no sentido de que não podemos planejar conflitos futuros com base em como lutamos em conflitos anteriores, mesmo se estivéssemos inclinados a fazê-lo”, acrescentou.

Dickinson observou que a China está desenvolvendo rapidamente capacidades espaciais militares, incluindo armas anti-satélite, enquanto a Rússia já realizou uma série de testes de mísseis espaciais.

Em artigo publicado em fevereiro deste ano no portal do U.S. Naval Institute, o almirante Richard afirmou que “há uma possibilidade real de que uma crise regional com a Rússia ou a China possa se transformar rapidamente em um conflito envolvendo armas nucleares, se eles perceberem que uma perda convencional ameaçaria o regime ou o estado.”

Segundo Richard, os dois países “começaram a desafiar agressivamente as normas internacionais” de “maneiras não vistas desde o auge da Guerra Fria”.

O USSTRATCOM é o responsável, entre outras coisas, em controlar o lançamento de armas nucleares nos EUA.

Com informações de Daily Mail e The Sun


Essa promoção não se repetirá. Tenha acesso a um ano da Formação Senso Incomum e à aula ao vivo bônus exclusiva por apenas 12x de 64,90 (R$120,00 de desconto)

Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1