fbpx

Digite para buscar

Príncipe Harry chama Primeira Emenda de “loucura” e culpa família real por “dor genética e sofrimento”

Compartilhar

Em uma recente entrevista, o príncipe Harry – que se separou da família real britânica há um ano – disse que a Casa de Windsor é um repositório de “dor e sofrimento genéticos”, e criticou sua nova pátria, os EUA, por preservar a liberdade de expressão em sua Constituição.

Falando ao Armchair Expert – um podcast de celebridades apresentado pelo ator Dax Shepard – Harry disse que se mudou para os Estados Unidos para quebrar um ciclo de “dor e sofrimento genéticos” em sua própria família.

“Ele me tratou da maneira como foi tratado”, choramingou Harry sobre seu pai, o príncipe Charles.

“Há muita dor e sofrimento genéticos que são transmitidos de toda maneira. Nós, como pais, devemos fazer o máximo que podemos para tentar dizer: ‘Quer saber? Isso aconteceu comigo. Vou garantir que isso não aconteça com você.’”

“Eu nunca havia enxergado isso. Eu nunca soube disso. E então, de repente, comecei a juntar as peças e pensei: ‘Ok, então é aqui que ele estudou. Isso é o que aconteceu. Eu sei um pouco sobre a vida dele [Charlie].”

“Também sei que está ligado aos pais dele. Isso significa que ele me tratou da maneira como foi tratado, (…) como posso mudar isso em relação aos meus próprios filhos? ”

Harry disse que sua esposa, a atriz Meghan Markle, o encorajou a se aprofundar na terapia para descobrir como seu relacionamento com seu pai afetou sua vida.

“Quando comecei a fazer terapia foi como se a bolha tivesse estourado. Tirei minha cabeça da areia, dei-lhe uma boa sacudida e pensei, ‘Você está nesta posição de privilégio, pare de reclamar e pare de pensar que quer algo diferente – faça algo diferente. Como você vai fazer essas coisas de maneira diferente?’”

A resposta, aparentemente, foi se mudar com sua esposa, filho e a filha ainda não nascida para a Califórnia.

Mas para o príncipe chorão a situação ainda está longe de ser perfeita, já que os americanos valorizam demais a liberdade de expressão permitindo-lhes criticar figuras públicas – um conceito que ele simplesmente não consegue entender.

“Tenho tanto a dizer sobre a Primeira Emenda da maneira como a entendo, mas ela é maluca. Não quero começar a falar da Primeira Emenda porque esse é um assunto muito vasto e [também] não o entendo porque estou aqui há pouco tempo. Mas você pode encontrar uma brecha em vários pontos. Você pode capitalizar ou explorar o que não foi dito, em vez de defender o que foi dito.”

Os americanos foram rápidos em dizer ao príncipe britânico o que ele poderia fazer com suas opiniões sobre as garantias da Constituição.

Um dos ouvintes do podcast comentou:

“Ei, vá para casa! Nós lutamos uma guerra para nos livrar dos membros da realeza em nosso solo. Não há necessidade de entender nada do que fazemos. Tchau!! Você sempre pode ir embora se não gostar de nossa constituição e, por favor, encontre um país onde não tenha que lidar com esses direitos malucos.”

O congressista republicano Dan Crenshaw ironizou dizendo ao príncipe Harry que suas lamúrias só “dobraram o tamanho da minha festa do Dia da Independência.”

Com informações de Daily Wire


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Luigi Marnoto

Luigi Marnoto é cozinheiro e só não foi guia de cego e bombeiro. Atualmente escreve no Senso em troca de uns caraminguas. É pai e avô quase exemplar e campeão de porrinha.

  • 1