Em nosso podcast, comentamos o filme O Jardim das Aflições, de Josias Teófilo, sobre a obra de Olavo de Carvalho – e arte, filosofia e ursos.

Guten Morgen, Brasilien! Em nosso podcast #40 analisamos o filme O Jardim das Aflições, de Josias Teófilo, que mostra a obra do filósofo Olavo de Carvalho. E para comentar em grande estilo, chamamos o time da própria Panela Produtora, nosso produtor Filipe Trielli e nosso cozinheiro Luigi Marnoto, que contribuíram com o filme, além do dono da própria voz narradora do filme, o grande diretor teatral Roberto Mallet!

Fugindo da mera distribuição de elogios ou propaganda do filme de Josias Teófilo, aproveitamos este bate-papo para debater a respeito da própria idéia da apresentação de uma obra literária no formato de arte, e como esta plataforma exige uma leitura específica. E, claro, como a filosofia de Olavo de Carvalho foi apresentada em O Jardim das Aflições.

Não se trata de mera obra política ou “conservadora”. Ainda menos: toda a polêmica sobre o filme foi metalingüística, ficando fora da tela, tão somente pela ousaria de se fazer um filme sobre um filósofo que não comunga do dogma do establishment e suas visões de em linha de produção – em suma, por o filme “existir”, como disse um de seus críticos. Tela adentro, O Jardim das Aflições nem é polêmico: não há uma única frase dita por Olavo de Carvalho que tenha sido objeto de disputa ou questionamento em relação à verdade.

Tal como acontece com o livro O Jardim das Aflições, o filme também sofreu da mesma sina: seus críticos nem fazem idéia do conteúdo do que estão, supostamente, criticando. Basta ver o repúdio ao filme via boicote no Festival de Cinema de Pernambuco.

Também falamos da própria filosofia de Olavo de Carvalho, da política do Brasil, de arte e música. Sobre estética, sobre o choque causado por pensamentos construídos diferentemente da forma fixa da Academia, sobre espanto e conhecimento. Comentamos a alegria da amizade e do conhecimento,  além da picuinhas, fofocaria e as idiotices nas redes sobre Olavo de Carvalho. E sem deixar de falar de ursos e da voz de Roberto Mallet.

Além, é claro, de fazermos piadinha com o fato de Josias Teófilo ser vegetariano.

A produção é do próprio Filipe Trielli e de David Mazzuca Neto, e é claro que foi no estúdio Panela ProdutoraGuten Morgen, Brasilien!

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • MudaBrasil

    Que demais esse bate papo Flavio, divertido e de muito aprendizado.
    Também acho que está entre os melhores podcasts do SI.
    Destaque para a ‘FORMA’, pirula (kkkkk ri alto) e A VOZ recitando a crítica, enfim 120 minutos que passaram voando.
    Valeu melhores amigos Filipe, Panela…

  • Laudelino Amaral

    A melhor introdução da história do Guten

  • K.Salles

    Excelente, como sempre. Adorei esse formato de roda de conversa.

  • Jorge Orella

    Não vi o filme mas estou louco pra ver. Alguém coloca no youtube para alugar, ou no itunes.

  • Jean Imax

    Só escutei verdades absolutas ! “Os meus amigos são melhores que os seus” (Guten Morgen).
    Se já não bastasse o senso incomum estar sempre certo e quem não concorda estar errado, Guten Morgen tem os melhores amigos ainda por cima, sensacional !

  • Antonio Carvalho

    Ser olavete nos em 94 era muito mais fácil do ser nos anos 80.

  • Carlos Magno Dias Ferreira

    Olavo de Carvalho é a maior perda da esquerda e o melhor presente, que os homens bons ganharam, com a sua vinda para o lado bom da força.
    As coisas estariam muito mais difíceis, caso o professor ainda estivesse do lado de lá.

    Eu sou burro e gostaria de melhorar. Toda essa carga de realidade, me faz questionar tudo. Já assisti a todos os podcast no mínimo 3 vezes cada (velocidades 1x; 1,5x e 2x).

    Por vezes me pego pensando até na maior das conspirações: teria o Prof. Olavo, em seu tempo de esquerda (e juventude), orientado os vermelhos a colocarem Gramisc em ação? Ou o povo da esquerda realmente é suficientemente capaz, para ter feito tal façanha e o bom Professor só descobriu, após a sua vinda para o lado de cá? Pergunto isso, pois Gramisc deu muito certo SÓ por aqui. E Olavo jovem, igualmente, tínhamos só por aqui!

    Se isso procedesse, o Professor realmente teria o seu particular “Jardim das Aflições”.

  • Wlad Villanova

    Excelente! Para não variar e para nossa alegria.

  • Sabia que não tinha como a vozinha de moça do Josias ser obra do acaso! xD

  • Jônatas Pontes

    Muito bom!

Sem mais artigos