Numa demonstração clara do totalitarismo desumanizante do globalismo, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos decreta a morte de um bebê, impede seus pais de tentar salvá-lo e reivindica para si o poder de determinar quem pode ou não viver

O bebê Charlie Gard, de 8 meses, enfrenta uma doença mitocondrial rara, que enfraquece os músculos e causa danos cerebrais. Mas Charlie Gard enfrenta uma ameaça ainda mais mortal: a decisão da Justiça da Inglaterra, que determinou que os médicos devem desligar seus aparelhos sem consentimento dos pais.

Os pais já tinham feito uma campanha para arrecadar donativos para levar o bebê para a América, onde há um tratamento experimental. Com a solidariedade, a família Gard conseguiu 80.000 doações, somando 1,2 milhões de libras (cerca de 4,5 milhões de reais). O avanço da ciência foi ignorado, e os médicos preferiram a morte do bebê Charlie Gard.

Médicos haviam determinado que Charlie Gard deveria morrer pois o bebê estaria “sofrendo desnecessariamente”. Não se sabe em que manual de medicina há a exata precisão de quando um sofrimento é “necessário” ou cruza tal fronteira. Os pais levaram o caso para a Justiça inglesa.

O juiz Nicholas Francis declarou que sentenciava “com a maior das tristezas”, mas, ao mesmo tempo, com “a absoluta convicção” de estar fazendo “o melhor para o bebê“ (sic). Os pais foram impedidos de tentar salvar o bebê, mesmo com fundos, pois Charlie Gard merecia uma “morte digna” (sic).

A decisão da Justiça inglesa surpreende por alguns fatores. Não se trata meramente de eutanásia ou aborto, mas de algo ainda pior, o impedimento de que uma família salve uma vida com o avanço da ciência simplesmente porque um juiz e alguns médicos assim determinaram. Há recursos e medicina suficientes.

É algo novo: o poder do Estado determina quando uma vida é “digna” ou quando um sofrimento é “necessário”, podendo matar um ser humano quando o considera “inútil” para a sociedade. É algo que mal foi visto no totalitarismo socialista, cabendo mais à busca de um homem “perfeito” do nazismo. O que era considerado monstruoso no nazismo, é o novo “normal” determinado por entidades não-eleitas, como um juiz ventilando leis de estro próprio.

A decisão do assassinato de Charlie Gard não foi comentada pela mídia global, ou no máximo se faz comentários com linguagem eufemística, como “interrupção do tratamento”, “desligar aparelhos”, etc.

Além da destruição de soberanias e de leis criadas por agendas não-eleitas, como se faz na era do globalismo, a supremacia de um coletivo abstrato e amorfo sobre a vida do individuo por comissões de “direitos humanos” e entidades afins atingiu um novo limite. Não se trata de um caso pontual, mas de um novo patamar atingido, tratando a vontade do Estado sobre o indivíduo como “normal”.

Quem determina se uma vida vale a pena ser vivida ou não não é mais o indivíduo ou sua família, que demonstrou tanto amor por um filho. É o Estado e sua sanha por um mundo homogêneo.

Charlie Gard será assassinado hoje.

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • Antonio Vicente Filho

    Hoje os pais do bebe Charlie Gard perderam as esperanças da restauração da saúde desta criança… Papai e Mamãe, ouça me agora… eu tenho uma palavra de Deus para vocês e a esperança retornara no seu lar… É fato que seria importante esgotarmos todos os recursos, mas observamos que o especialista nesta doença (EUA) desenganou o bebe Charlie Gard… mas em Lucas 10:9 vemos uma palavra proferida do Senhor Jesus aos seus discípulos, dos quais eu sou um, ” Curai os enfermos que nela (nas cidades) houver e anunciai-lhes: A vós outros está próximo o reino de Deus.” Lucas 10:19 “Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo, e nada, absolutamente, vos causará dano.”… É nesta autoridade que recebi do Senhor Jesus que eu repreendo este mal que assola a vida deste inoscente que ainda nem completou 1 aninho de vida, que saia desta criança toda doença, todo mal, que está alojado em seu organismo em o Nome do Senhor Jesus… seja doença maligna ou qualquer deficiência por mal formação eu repreendo e ordeno que SAIA AGORA EM NOME DE JESUS. Pais de Charlie Gard… Adorem ao Senhor Deus por toda sua vida pela saúde de seu filho, pois ELE é o mesmo ainda hoje e por toda eternidade… ALELUIAS!!!

  • João Marcos

    Veja meu comentário acima. Os pais desistiram.

  • João Marcos

    Hoje os pais do bebê anunciam que DESISTEM de tentar levá-lo para tratamento nos EUA. Exames feitos na semana passada mostram que a condição dele piorou nestes 09 meses em que foi mantido refém no hospital britânico. Os danos são irreversíveis.

    ti.me/2uPLsuj

  • Pobretano
  • Ilbirs

    Eis que o pessoal do MBL resolveu descer a lenha esse misto de monstruosidade escancarada com eugenia disfarçada e intrusão estatal na vida cotidiana:

    Parece que finalmente eles estão se atentando àquilo que os brasileiros esperam deles.

  • Rafael Akinaton Dantas

    No fim Hitler conseguiu o que tanto sonhava. Pra mim é os tambores da III guerra soando cada vez mais forte.

    • Ilbirs

      Sim, a União Europeia é a concretização dos sonhos de Adolf Hitler e dos comunistas sem que uma bala fosse disparada. A conferir a lista:

      1) Predominância alemã? ✓

      2) Tratar um continente como um único país? ✓

      3) Eugenia? ✓

      4) Importação de jihadistas para impor clima de terror a europeus nativos e torná-los receptivos a qualquer medida que se proponha? ✓

      5) Burocracia gigantesca? ✓

      6) Um Parlamento que na prática é um politburo? ✓

      7) Autoridades voltando-se contra os próprios europeus? ✓

      8) Ataque às raízes judaico-cristãs do Ocidente? ✓

      9) Uso de inocentes úteis prometendo-lhes a concretização de uma utopia que, como utopia que é, é irrealizável, não deve ser realizada e deve ser continuamente mantida como uma expectativa para que inocentes úteis sigam sendo inocentes e úteis? ✓

      10) Políticos distantes dos países e soltando regras e mais regras? ✓

      OK, é verdade que o Reino Unido mandou a UE às favas, mas ainda está bastante eivado de marxismo cultural em sua vida cotidiana e, como sabemos, livrar-se disso é a etapa seguinte da descontaminação de um país com aquilo que veio de Gramsci em diante. Temos o ocorrido com Charlie Gard e antes disso muitas outras pessoas morreram via eutanásia autorizada pela lei local.

  • Camila Oliveira

    A decisão final que selou o destino do bebê Charlie Gard foi proferida pela Corte Européia de Direitos Humanos. Os pais já tinham perdido na Alta Corte, Corte de Apelação e na Suprema Corte inglesas. E olha que eles não estavam exigindo que o Estado pagasse o tratamento. Muito absurdo o que aconteceu. Para piorar os médicos se recusaram a deixar os pais levarem o bebê para casa para morrer. Só justiça divina na causa.

  • Bom, pelo menos não chegamos ao ponto de ter uma massa de psicopatas em volta do hospital pedindo pelo assassinato do Charlie.

    Ou já chegamos? Não lembro de outros casos semelhantes. Schiavo? Englaro? Realmente não lembro mais. Acho que não. Tomara que não mesmo.

  • Eliane Moura

    O serviço de saúde inglês é público, então, quem tem morte cerebral que eles julgam irreversível morre de inanição, pra poupar despesas.
    Leva 3 semanas pra um adulto morrer de fome; um bebê, uma semana.
    Esse caso é escandaloso e provavelmente eles querem impedir que casos semelhantes sejam tratados no serviço público, dando despesa, que se dane o paciente.
    Mas as mulheres inglesas que fazem cirurgia plástica fora do país e têm problemas, tratam as complicações no serviço de saúde inglês. Aí, não aparece um CORNO pra proibir isso.
    Sou médica, o paciente, mesmo terminal, tem o direito de tentar tudo. O que ele vai perder?
    O que o contribuinte inglês vai perder se ele se tratar nos USA?
    O contribuinte inglês paga uma mansão de 2 milhões de libras pra uma família de 10 palestinos, paga uma porcão de bolsas disso e daquilo pra supostos refugiados muçulmanos, pq esse bebê não tem direito a nada?
    É de matar de raiva.

  • Capixaba

    Fosse um cachorro ou um gambá a gritaria já seria intensa. Criança a esquerda não tá enm aínem tem ong pra ser humano
    kkkkk

  • WillMDias

    Absurdo!

    Já tinha visto no terça livre e em outros sites. O tribunal dos DIREITOS HUMANOS, neste caso, não serviu para nada.

    A família foi impedida de tirar a criança do hospital.

    Não acompanho a grande mídia, mas assim como li no texto, creio que este caso não obteve muita atenção.

    Toda vida deve ser preservada, mas hoje em dia muitas pessoas se preocupam mais com ovelhas do que bebês indefesos.

  • Aderbal Matias

    “E por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará.” Jesus
    :/

  • Claudio

    Faço minhas as suas palavras Flavio, é repugnante, um ato brutal. A decadência moral do ocidente é evidente e na Inglaterra, Suécia, França, Alemanha, parece ter atingido níveis mais baixos ainda mais se considerarmos o grau de desenvolvimento econômico, porém, talvez esse também seja um elemento que explique essa realidade. Matar bebês no útero já é padrão, agora caminhamos para o infanticídio, matar pode, salvar, não. Monstruoso.

Sem mais artigos