Paste your Google Webmaster Tools verification code here

Trump cortou o financiamento da ONU. A maior entidade de um governo global fará falta? O mundo não terá mais paz? O que, afinal, é a ONU?

Guten Morgen, Brasilien! A primeira semana de governo de Donald Trump foi entupida de fatos surpreendentes, sobretudo para o Brasil: aqui, nada pode ser mais surpreendente do que um presidente cumprir tudo o que promete. E o pior: em quatro dias! Do presidente do México à alta cúpula da ONU, todos continuam sendo pegos de surpresa pelo presidente que, em uma semana no cargo, já conseguiu recuperar a presidência americana como posto mais poderoso no mundo.

PUBLICIDADE

Além de tudo o que envolve imigração de países islâmicos, muro, indicação pró-vida à Suprema Corte e de generais para acabar com o Estado Islâmico, nada foi mais chocante do que seu corte de financiamento à ONU.

As Organizações das Nações Unidas dependem primordialmente do financiamento americano para promover sua agenda. Ela é tratada como a principal força promotora da “paz” no mundo, e suas resoluções são consideradas a verdade, nada mais do que a verdade. A grande Verdade revelada: discordar da ONU seria o equivalente a assassinar 6 milhões de judeus, ou pior ainda: ofender muçulmanos ao usar um crucifixo em público, o que é o verdadeiro nazismo hoje.

Mas o que raios é a ONU? Por que o mundo precisa de um meta-governo global, e por que tudo o que a ONU diz, pesquisa, conclui, analisa e obriga goela abaixo de populações que votaram em governos que não queriam suas resoluções precisa ser aceito? Por que ninguém nunca diz um A contra a grande ONG das ONGs, a entidade de um governo global que supera as soberanias de todos os povos?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Afinal, por que – e esta pergunta deveria inquietar o mundo e gerar as verdadeiras revoluções do século XXI – a ONU se volta tanto contra governos livres, que respeitam a vontade de seu povo, que promovem a liberdade e combatem o terrorismo, como a América e Israel, e no máximo faz algumas notinhas de repúdio a verdadeiros totalitarismos violentíssimos, como Coréia do Norte, Irã e Arábia Saudita?

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Por que a ONU ataca tanto Israel, o país campeão de “sanções” do governo mundial, e defende tanto a Palestina? Será um bom-mocismo contra o terrível Estado judeu? Ninguém pode desconfiar que existam razões que não são explicáveis apenas pela política rasteira – mormente a de noticiários sem contexto –, e sim por causas que atuam no mundo há milênios – e não falamos de teorias da conspiração, mas sim de culturas, religiões e conceitos, como soberania e democracia, que foram cunhados eras antes do governo mundial?

PUBLICIDADE

Por fim, qual a ligação entre os cortes de financiamento de Donald Trump à ONU, a entidades que promovem o aborto pelo mundo, a criação de novas possíveis “Guantánamos”, ao muro na fronteira com o México e a entidades que defendam a “causa Palestina”, questões que parecem não possuir a mais remota ligação entre si, mas todas juntas formam um todo coerente e concatenado?

É o que você ouvirá neste episódio de nosso podcast. A produção é de Filipe Trielli e David Mazzuca Neto, no estúdio Panela Produta. Guten Morgen, Brasilien!

—————

Assine nosso Patreon e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

  • Rodrigo Pavão

    Alguém pode me ajudar a encontrar os links de textos/livros que o Flávio diz deixar disponível?

    • Rodrigo, são as imagens de livros que ficam depois dos posts e antes dos comentários, em todos os nossos textos. 🙂

      • Rodrigo Pavão

        Valeu, Morgen!
        E quanto a linguística, tenho interesse em estudar com você. Espero ainda ser possível para tão quanto breve.

        Um abraço, e up the irons!

        • Imagine, o curso ficará no ar, é só se inscrever! Tive anos de de dificuldade por serem várias áreas falando de linguagem, cada um a seu modo. Esse curso fiz justamente para se organizar conhecimentos pra quem vai começar.

          • Rodrigo Pavão

            Então, acho importantíssimo. Eu sempre valorizei a análise do discurso e os modos de uso da linguagem e palavras nas frases, isso principalmente em um debate. Quero aprimorar com você.
            Exemplo do que eu observo: Esquerdistas costumam em debates… desqualificar princípios e/ou o “oponente”, usam de terminologias à seu favor, rotulam e qualificam palavras que seriam de nossos princípios em modo negativo (“conservadorismo”, “retrógrado”, etc. São conotações entendidas pelas pessoas em geral como algo negativo. Já eles se auto intitulam “progressistas”, como se fossem os detentores da virtude á favor do progresso social e cultural). Quando eu debato um assunto com algum destes lobotomizados ou doutrinadores (raro, pois não curto muito debates, gosto mais de propagar e contribuir intelectualmente para os menos favorecidos de informações corretas), eu analiso muito a mudança de foco no assunto que eles fazem, as desvirtuações, o ad hominem e essa maldade deles em criarem o ponto de partida de princípios aceitáveis ou não, onde desejam que nós nos enquadremos no debate. Exemplo: negar a Bíblia e as histórias ali e princípios judaico-cristãos.

            Isso tudo me fez interessar-me em aprimorar a linguística. Ou se for outra área, pretendo saber e poder focar nos estudos.

          • Rodrigo, é exatamente assim que começa a reflexão. Lingüística não é arte do debate, é estudo da língua (e não da linguagem). Mas é justamente com esse estudo que se produziu o controle completo do imaginário no século XX. Meu trabalho é usar os mecanismos e ganharmos liberdade com isso também.

          • Rodrigo Pavão

            Maravilha! Entendi!
            Encontrei aqui já o curso e favoritei no navegador para contratar assim que possível (em breve).
            Estou estudando muito seus podcasts, textos, acompanho suas postagens no facebook e tento reunir ou aprimorar conhecimento e lógica suficiente para contribuir aos não inclusos nos estudos, mas que são peças no xadrez político como idiota úteis ou no mínimo detentores do voto, e assim importantes em seu nível. Estou construindo um site para tal, com linguagem esmiuçada e fácil para o alcance destes. É também um site onde há estudos bíblicos de um amigo que é estudioso no mesmo, voltado para os interessados nos temas.
            Parabéns, juntamente com o Professor Olavo, tens sido meu tutor. Estamos juntos.

          • Muito me honra ler isso, Rodrigo! Muito obrigado!

      • Rodrigo Pavão

        Valeu, Flávio!
        Agora vi aqui o motivo de eu não encontrar antes. Visualizando pelo computador eles nao aparecem, aqui pelo celular aparecem!!

  • Aderbal Matias

    Vc esqueceu que ele tá certo e vc está errado? kkkkkk

  • Justin Average

    Episódio fantástico, Flávio.
    Mas sobre a parte 01:21:45 -> “Adolf Hitler vai lá, se encontra com Hassan al-Banna…”
    Não seria o Amin al-Husseini? https://en.wikipedia.org/wiki/Amin_al-Husseini#In_Nazi-occupied_Europe

  • Gustavo V.

    Como eu sou um mongolóide gostaria de saber o que é o imperialismo americano, alguém ?

  • Vitor Colivati

    Ouvir esse podcast e assistir a aula do Padre Paulo Ricardo sobre o Banco Mundial faz com a mente começa enxergar outras coisas.

    É uma pena que só tenha uma vez por semana o Podcast.

  • Raimundo Lulo

    o Irã escreveu em hebraico num missil em um teste: “Israel deve ser riscada do mapa”, mas os ocidentais especialistas no assunto juram que o islão é uma religião de paz

  • Diego Borges

    Pra ouvir tendo o United Abominations, do Megadeth, como som de fundo.

    • Rodrigo Pavão

      Boa!

  • Raimundo Lulo

    na minha adolescencia condenei os EUA até por nao assinar o protocolo de kyoto

  • solon

    Quem comandou os judeus à terra prometida foi Salomão saindo da Mesopotâmia e não Moisés vindo do Egito.

  • Meruem

    Well played

  • Kelvin Pinheiro

    Caralho, Flávio. Neste episódio você estava inspirado. Tá difícil decidir agora qual foi o melhor. Grande abraço e sucesso

  • Captain Murphy

    Não consigo ver a relação entre os globalistas ocidentais (Soros, Rockfeller, …) e os islâmicos. O primeiro grupo tem motivações econômicas e o segundo religiosas. A única ideia que tenho é de uma aliança temporária para derrotar EUA/Israel, que são resistência para ambos e também para o terceiro esquema globalista, de cunho político, entre China e Rússia.

  • Douglas Marques

    Eu imagino que é muito complicado, mas seria massa poder ter as referências de boa parte do que você disse. A parte sobre o modelo de governo no velho testamento foi realmente interessante, queria ler algum texto mais detalhado sobre isso.

  • Renato

    A construção dos assentamentos é questão estratégica. quase todos estão localizados em montanhas, elevações.

  • Juca Amil

    Basicamente a ONU se apropria de problemas reais para cuspir uma agenda cujo objetivo é diminuir os poderes nacionais dos países de tal forma que o poder fique concentrado nela mesma?

    Sugestões de temas
    – Paulo Freire
    – Zumbi dos Palmares
    – Mises
    – Aquecimento global
    – Valores perdidos
    – Ditadura militar
    – Revolução industrial
    – Salário minimo
    – Educação e ensino
    – Continente africano – por que vivem na miséria?
    – Anarco capitalismo
    – Guerra cultural
    – Estado de bem estar social
    – A Republica de Platão
    – Montesquieu e Rousseau
    – Liberação de drogas
    – Quais medidas são necessárias para o Brasil sair do fundo do poço?
    – [controverso/conspiração] escravidão tem a ver com racismo? Por que negros escravizavam negros? Será que racismo surgiu para fomentar discórdia na sociedade?
    – De onde surgiu esse coletivismo de hoje em dia? Todos querem ajudar os outros sem nem entender o problema.
    – Seu homofóbico, racista, xenofóbico, nazista! Esses apelidos carinhosos é uma técnica para calar discussões?
    – [conspiração] eu acho que a terceira guera mundial se dará por culpa do Islã. Essa porra está dominando a Europa e ninguém vai parar los. Você acha que eu estou ficando louco?
    – Qual seria o “sistema” (cultural e politico) ideal-possível (anarcocapitalismo é lindo mas está longe de acontecer)? Talvez o mesmo do inicio dos EUA?
    – O mundo é esquerdista e socialista. Até quem não conhece essas palavras se identificam com suas ideias. A cada dia que passa esse vírus se espalha mais e mais. A educação não está nas nossas mãos. Os intelectuais também não. E os artistas? Não também. A população acredita em democracia e estado baba gigante. A direita não é organizada, nem estratégica, seu poder é nulo no Brasil. Uma crise gigante está chegando. Os islã logo vai dominar a Europa. É correto afirmar que vamos todos tomar nos nossos respectivos cus? O que podemos fazer para tentar evitar isso?

    – Estados Unidos
    — Fundação
    — O FED devia deixar de existir?
    — Por que em poucos anos conseguiu se tornar uma potência?
    — É correto afirmar que pessoas como Rockfeller, Ford, Dale Carnegie foram, pelo menos até um certo momento, capitalistas reais e mudaram para meta-capitalistas ou isso aparece apenas com os seus sucessores?
    — Eu já ouvi pessoas considerarem o Abraham Lincoln um dos melhores presidentes americanos e também ouvi gente dizer que ele foi o pior, o que você acha?
    — Guerra Civil;
    — Quais medidas ferraram com os EUA ao longo de sua história?

  • Lauramélia França

    Como em uma semana Trump trabalhou muito e a militância de esquerda está desesperadamente tentando atrapalhá-lo, entre a gravação do podcast e a sua divulgação, algumas coisas mudaram, como a posição do presidente do México, que tenta agora se fazer de durão pra ganhar pontos para as eleições.

  • Pergunta: Em 29 de novembro de 1947, a ONU proclama o Israel como Estado Nação. Neste momento histórico a ONU seria ainda o mocinho da história!? Se sim, quando ele começou a se tornar vila, deixando de lado a busca da verdadeira Paz?

  • Organização das Putarias Unidas, tendo como seu primeiro presidente Bender o Robô?

    • Narciso L. Junior

      Essa parte era piada mas a primeira metade era seria

  • Ailton Ferreira

    Só uma correção Flávio, nós liberais e libertários (no sentido usado aqui no Brasil, não o Americano), temos plena consciência de que Acordos Multilaterais como o TPP não tem nada de Livre Mercado.
    Acho que você faz uma confusão quando se refere a nós em relação a essas coisas, a gente sabe que o “Mercado” não é a FIESP. hahahahaha

    De resto só tenho elogios a mais um episódio fantástico desse podcast lindo, e a parte mais ao final quando você fala sobre história – Israel – Palestina – cronologia cristã, foi muito interessante e fiquei com gostinho de quero mais, algum plano para algum episódio específico sobre em um futuro próximo?

  • biancavani

    Para mim, o que faz a excelência do GM é justamente este formato longo, denso, abrangendo a conexão de um dado tema com a história, filosofia, linguística, geopolítica, literatura, artes etc. E, claro, a inteligência, clareza, bom humor do Flávio (esse insuportável, rsrs).
    Mas, olha só, o “botãozinho” para baixar o podcast remete ao 26, e não a este 28.

  • Wlad Villanova

    Maravilho! Para não variar!

  • João Paulo Santos

    Acho que tem um errinho no texto, está “Panela Produta” no último parágrafo.

  • Cara, na época, pra mim foi um absurdo desobedecer esta resolução da ONU.. Era predominante este pensamento.

Sem mais artigos