Digite para buscar

Não é mero detalhe

Formulário da Casa Branca agora pede seus “pronomes”

Elon Musk escreveu que "pronomes são um saco". Twitter já baniu rapper britânico Zuby por chamar "transgênero" de extrema esquerda de "dude"

Avatar
Compartilhar
Formulário da Casa Branca agora pede seus "pronomes"

Tão logo Biden foi empossado no cargo, o governo americano fez uma mudança no formulário de contato do site da Casa Branca. A partir de agora, além de nome, endereço, telefone, e-mail, a Casa Branca quer saber como você definirá o seu pronome: Ela, ele, eles/elas, outros ou prefiro não dizer.

Embora pareça insignificante, a mudança é mais um sinal de o novo governo Democrata irá abraçar a pauta da identidade de gênero – algo que, além de controvérsias, tem gerado “censura do bem” por parte das Big Techs.

Em fevereiro de 2020, o Twitter suspendeu o rapper, autor e apresentador de podcast britânico Zuby, por ter respondido “ok, cara” a Emily Gorcenski, uma ativista transgênero de extrema esquerda.

Gorcenski, que é biologicamente masculino, mas diz se identificar como uma mulher trans, aparentemente se gabou para Zuby de dormir com mais mulheres do que ele, disse o rapper ao portal Daily Wire.

Em resposta, Zuby respondeu: “ok, cara.” Isso foi o suficiente para Zuby ser denunciado por “conduta de propagação de ódio” e temporariamente suspenso do Twitter.

A controvérsia sobre uso de pronomes trans chegou a ser comentada pelo bilionário dono da Tesla e da Space X, Elon Musk, que tuitou “Pronomes são um saco”, em julho de 2020.

Em fevereiro de 2020, o site The Federalist publicou a história do professor cristão Nicholas Meriwether, docente da Shawnee State University.

Ao informar a um estudante do sexo masculino “identificado como mulher” que ele não usaria pronomes trans devido às suas crenças religiosas, o aluno tornou-se agressivo, ameaçou o emprego do professor e apresentou queixa formal a funcionários da universidade.

Nicholas Meriwether, o professor, processou a universidade depois que instituição concordou com a alegação do aluno de que o professor havia criado um ambiente “hostil” em violação da política anti-discriminação da escola.

O tribunal rejeitou as objeções religiosas do professor, e manteve a posição da universidade: ou Meriwether usaria o pronome trans, ou perderia seu cargo na universidade.

Com informações do Daily Wire.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Avatar
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1