fbpx

Digite para buscar

A culpa é do Cabral

Lembre-se de esquerdistas comemorando gastos com Copa e hoje gritando “Fora Bozo genocida!”

"Não se faz Copa com hospital!" Se estamos sem dinheiro em caixa agora, lembre-se de Dilma, Lula, Ciro e afins comemorando bilhões torrados com estádios

Compartilhar
Lembre-se de esquerdistas comemorando gastos com Copa e hoje gritando "Fora Bozo genocida!"

É natural para o político fisiológico culpar seus adversários por todos os erros que eles mesmos cometeram. Apelando à falta de memória do povo, tipos assim se perpetuam na vida pública, ecoando sua indignação fingida na mesma proporção em que afundam os lugares que administram.

Com a grande mídia vendida lhes servindo de assessoria de imprensa, atacam todos os inimigos políticos que estão no poder, travando reformas, boicotando projetos e inventando crises e mais crises para que o povo sinta na pele o custo de não tê-los escolhido para salvá-los da pobreza.

A pobreza, aliás, é o maior capital político no país. Agora com a pandemia, os mesmos políticos de sempre, que tiveram todas as chances de estruturar nosso sistema de saúde, estão em polvorosa, atacando o governo Bolsonaro (vejam só!) pela falta de estrutura do sistema de saúde. 

É sempre bom lembrar as falas dos nossos bastiões da mongolice quando criticados por destinar uma fortuna para a construção de estádios enquanto a população morria à míngua numa fila de hospital.

Fique com esse pot-pourri de bizarrices de políticos que estão todos aí, reclamando da falta de leitos em hospitais:


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Entenda o pensamento do maior psicólogo da atualidade: Jordan Peterson – Entre a Ordem e o Caos!

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Vista Direita

Assuntos:
Carlos de Freitas

Carlos de Freitas é o pseudônimo de Carlos de Freitas, redator e escritor (embora nunca tenha publicado uma oração coordenada assindética conclusiva). Diretor do núcleo de projetos culturais da Panela Produtora e editor do Senso Incomum. Cutuca as pessoas pelas costas e depois finge que não foi ele. Contraiu malária numa viagem que fez aos Alpes Suiços. Não fuma. Twitter: @CFreitasR

  • 1