Digite para buscar

Controle total

Xi Jinping estabelece plano para controle da internet global, revelam documentos vazados

Como já havíamos alertado, ditador Xi Jinping define que “poder de controlar a Internet” era “novo ponto focal da competição estratégica nacional [da China]”

Compartilhar
Xi Jiping estabelece plano para controle da internet global, revelam documentos vazados

O líder do Partido Comunista Chinês (PCCh) Xi Jinping ordenou pessoalmente ao regime comunista que concentrasse seus esforços no controle da internet global, de acordo com documentos internos do governo recentemente obtidos pelo portal Epoch Times.

Em um discurso de janeiro de 2017, Xi disse que o poder de controlar a Internet era o foco principal da estratégia de dominação mundial e apontou os Estados Unidos como uma “força rival” que se coloca no caminho das ambições do regime.

O objetivo final do discurso era demonstrar que o Partido Comunista Chinês (PCCh) quer controlar todo o conteúdo da Internet global, para que o regime possa exercer o que Xi descreveu como “poder da palavra” sobre as comunicações e discussões no cenário mundial.

Xi disse que o PCCh pretende obter controle total sobre todas as partes do ecossistema online: aplicativos, conteúdo, qualidade, capital e trabalho.

Sua fala foi feita em uma reunião de liderança do Comitê Central para Assuntos do Ciberespaço – órgão chinês de censura da Internet –, em Beijing, em janeiro de 2017, e detalhada em documentos internos emitidos pelo governo provincial de Liaoning, sudeste da China.

As declarações confirmam os esforços feitos por Beijing nos últimos anos para promover sua própria versão autoritária da Internet como modelo para o mundo.

Tendo construído com sucesso o aparelho de vigilância e censura da Internet mais extenso e sofisticado do mundo, conhecido como o Grande Firewall – um trocadilho em inglês com a grande muralha (Great Wall) –, o PCCh sob Xi está se voltando para o exterior, defendendo uma Internet chinesa cujos valores vão contra o modelo aberto defendido pelo Ocidente. Em vez de priorizar o fluxo livre de informações, o sistema do PCCh se concentra em dar ao Estado a capacidade de censurar, espionar e controlar os dados da Internet.

Leia também:
De onde veio o Marco Civil da Internet? De Vladimir Putin

Estratégia tripla

Xi ordenou que o regime se concentrasse em três áreas “críticas” em sua busca pelo controle da Internet global.

Primeiro, Pequim precisa ser capaz de “estabelecer as regras” que governam o sistema internacional. Em segundo lugar, deve instalar representantes do PCCh em cargos seniores em organizações globais da Internet. Terceiro, o regime deve controlar a infraestrutura subjacente à Internet, como servidores raiz do Sistema de Nomes de Domínio (DNS), disse Xi.

Os servidores raiz do DNS são essenciais para as comunicações na Internet em todo o mundo. São eles quem direcionam os usuários aos sites que pretendem visitar. Dos mais de 1.300 servidores raiz do mundo, apenas cerca de 20 estão na China.

Se o regime chinês obtiver controle sobre mais servidores raiz, poderá redirecionar o tráfego para onde quiser, disse Gary Miliefsky, especialista em segurança cibernética e editor da Cyber Defense Magazine, ao Epoch Times.

Por exemplo, se um usuário quiser ir a um artigo de notícias sobre um tópico que Pequim considera sensível, o servidor DNS do regime pode direcionar o usuário a uma página falsa que diz que o artigo não está mais na Internet.

“No momento em que você controla a raiz (…) você pode controlar o que as pessoas veem, o que as pessoas não veem”, disse Miliefsky.

Nos últimos anos, o regime fez progressos no avanço da estratégia de Xi.

Em 2019, a gigante chinesa Huawei propôs pela primeira vez a ideia de uma Internet completamente nova, chamada New IP (Internet Protocol), para substituir a infraestrutura de meio século que sustenta a web.

Embora a nova propriedade intelectual possa levar a uma rede global aprimorada, Miliefsky disse, “o preço disso é a liberdade”.

“Não haverá liberdade de expressão. E haverá escuta em tempo real, o tempo todo, de todos”, disse ele. “Qualquer um que se juntar a ele [New IP] será interceptado por um único governo.”

O New IP será formalmente discutido na Assembleia Mundial de Padronização das Telecomunicações da UIT em março de 2022.

Com informações de Epoch Times


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1