fbpx

Digite para buscar

Isso é hora, general?

Tropas britânicas são obrigadas a parar treinamento para “dia de inclusão”

Em meio a tensão da iminência de uma guerra, General ordena interrupção total de treinamentos de dezenas de milhares de soldados para que "pensem diferente"

Compartilhar
Tropas britânicas são obrigadas a parar treinamento para "dia de inclusão"

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, pretende enviar mil soldados do Reino Unido para fortalecer as fronteiras da Europa, alertando que uma invasão da Ucrânia pela Rússia seria uma “tragédia”.

Enquanto isto, o general-chefe das Forças Armadas do Reino Unido, Sir Mark Carleton-Smith (foto), ordenou a interrupção dos treinamentos de 82 mil subordinados para um dia de “reflexões sobre inclusão.”

O evento está programado para acontecer na próxima terça-feira (08), terá seis horas de duração e será inaugurado com uma palestra de Carleton-Smith, que também é ex-comandante do Serviço Aéreo Especial (SAS), e seu vice-chefe das Forças Armadas, tenente-general Chris Tickell.

A presença é obrigatória para todos os 82 mil integrantes do exército, exceto aos que estejam em missões ou deveres essenciais, como a guarda do Palácio de Buckingham, informa o The Sun.

A ordem esdrúxula e em péssimo momento foi considerada pelo ex-coronel Richard Kemp como “mera sinalização de virtude.”

A cultura woke é a pá de cal do Ocidente.

Imagem: General Carleton-Smith visita tropas britânicas na Estônia, Janeiro/2022

Crédito da imagem: Divulgação

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1