Na novela "A Força de um Querer", Ivana é um homem no corpo de uma mulher, que gosta de homem, porque é um homem trans gay. Ou algo assim.

Na novela “A Força de um Querer”, da Globo, tem uma personagem chamada Ivana (Carol Duarte), que se descobre “um homem nascido no corpo de uma mulher”, ou seja, um “transgênero”, para acompanhar a onda politicamente correta, que resolveu eleger os transexuais a uma categoria de “minoria oprimida que todos agora querem ser”.

A novela tem ainda a terapeuta de Ivana, com quem ela (?!) vai conversar sobre os seus “sentimentos” por Claudio (Gabriel Stauffer). Péssima idéia: em épocas de revolução sexual 2.0, a primeira pessoa a te causar problemas e te deixar maluco é a média geral dos terapeutas.

A terapeuta Eva (personagem de Ester Jabloski na novela) explica o inexplicável: “Ivana… Você está mudando de gênero, não de sexualidade! São coisas diferentes!”. Ou seja: nem mesmo tomar uma vigorosa surra de hormônios nega a realidade. A natureza. O óbvio. A verdade. Essas coisas tão ultrapassadas, obscurantistas, Idade das Trevas e reacionárias, que tanto incomodam a esquerda, a Patrulha do Politicamente Correto e o Projaquistão.

A terapeuta então tenta explica o que não deu pra explicar: “Você tem amigos que são homens e que são gays, não tem? As pessoas nascem homens ou nascem mulheres. Mas a sexualidade delas pode estar dirigida para pessoas do mesmo sexo ou para pessoas de sexo diferente. Homens e mulheres podem ser heteros ou podem ser gays!”.

O binarismo foi ofensivo? Eva então vai além e esclarece Ivana: “Se você completar essa travessia, será um trans homem gay!”.

Por que está tão difícil dizer “mulher” e “heterossexual” no mundo de hoje?

—————

Assine nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso à nossa revista digital com as Previsões 2017!

Faça sua inscrição para o 2.º Congresso Virtual do Brasil Paralelo e, de quebra, ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link.

  • Pobretano

    O estupro não é um crime de gênero no nosso ordenamento jurídico. Qualquer ato libidinoso não-consentido pode ser enquadrado como estupro.

    Antigamente até existia essa figura do estupro vaginal VS atentado violento ao pudor. Hoje em dia é tudo a mesma coisa.

    O único crime de gênero no HUE BR é o ridículo feminicídio. Aí daria para fazer algo bem engraçado: um macho (nasceu com bigolinha) trans (“sente-se” mulher) que gosta de fêmeas namorando uma fêmea (nasceu com uma rachadinha cuspidora de bebês) trans quer gosta de homens, a quem a Maria da Penha e o feminicídio protegem afinal?

  • Pobretano

    Isso é pouco relevante. Muita gente que adere a políticas regressistas jamais leu um livro de esquerda.

  • Ricardo odeiomundo

    ainda bem que a globo eu nao assisto faz anos… apenas sou obrigado quando vou nas casas dos outros, ou então em lugares publicos, que aindsa insistem essa porcaria de canal

  • Ilbirs

    A principal pergunta que não é feita é a seguinte: se alguém precisaria adequar cirurgicamente o corpo para que este corresponda ao que essa pessoa crê ser em sua mente, por que não haveria como adequar psicologicamente a mente da pessoa para que esta corresponda ao que seu corpo é?

  • Ilbirs

    Aqui o termo mais preciso é “antever”, pois Bastiat usou os dados que possuía e, projetando o futuro com base no que aconteceria se fossem aplicadas aquelas condições, o resultado final seria aquilo que ele dizia que iria acontecer. Em tempos, terminei de ler A Lei, livro que ainda estava lendo como havia dito pouco abaixo e gostei bastante. Acho que inclusive vou relê-lo quando terminar o que estou lendo agora.

  • Carlos Caramujo

    dsclp eu me exaltei

  • Ilbirs

    Vídeo de Paula Marisa sobre o assunto:

  • Carlos Caramujo

    Mas não há conspiração para desconstruir o patriarcado branco, NÃO HÁ!

  • Rosa

    É verdade João. Digo que é dá ideologia de gênero para pior, já está surgindo no mundo os “transpécies”.

    • Ilbirs

      Verdade, temos exemplos disso:

      A maioria das pessoas lembraria disto:

  • Ilbirs

    Se a Marvel ainda estivesse Stan Lee em vez de subscrevendo a justiceiros sociais, não estaria passando por aquilo que passa no presente momento.

  • Diego

    Parabéns pelo post. Pras pessoas mais confusas, recomendo ler o livro recente da Caitlyn Jenner. Recomendação pode até parecer tosca, mas explica muito bem o processo de transição e todos esses aspectos biológicos.

    Além disso, serve como uma recomendação mais isenta. Dificil dizer que a Caitlyn é parte de um marxismo cultural, sendo republicana até o osso. 😛
    Ela própria diz que é mais fácil educar a direita sobre transsexuais do que a esquerda sobre economia, por isso nao desiste.

  • Ailton Ferreira

    É como o Olavo fala em toda sua obra, especialmente aqui no Brasil, a cultura é completamente esquerdista, tendo a estratégia de Gramsci sido a causadora disso.

    Eu me lembro de minhas discussões vexatórias com colegas na faculdade, em que eu defendia como verdade absoluta o fato dos EUA terem causado os atentados as torres gêmeas, para terem um pretexto e irem roubar o petróleo no Oriente Médio, e como eu era fanboy do Che Guevara!!! ahahahaha
    Olha o nível de babaquice que eu acreditava, mas na época (uns 3 ou 4 anos atrás) isso me era ‘claro’ como a luz.

    Lembremos que as crianças já são expostas há isso desde cedo, então esses “casos” como o da personagem da novela vão ficar cada vez mais corriqueiros, e corrija-me se eu estiver enganado, a psicologia ascendeu juntamente ao progressismo, como ferramenta auxiliar.

    Bastiat preveu o futuro com 100% de acerto, hoje vivemos no mundo invertido, o errado se tornou o certo e vice versa.

  • Garrcia

    Obrigado, Flávio ! Há tempos não dava uma boa gargalhada assim, logo pela manhã.

  • Pedro Luis Catraca

    Lembra quando o Casseta e Planeta fazia esse tipo de pergunta na Parada Gay? A piada virou uma trágica realidade.

  • Quem?

  • Ricardo odeiomundo

    cara… eu acho que nao precisa nem do termo “heterossexual”… Homem e mulher… o resto é viadagem! Olha como é simples! heheheheh Ate um amigo meu gayzão fala isso…

  • Jeferson Borges

    Sim. Eu quando vi um caso parecido pela primeira vez fiquei muito confuso. Daí pesquisei para tentar entender e hoje vejo como uma coisa normal e descomplicada. É confuso à primeira vista, mas se você pesquisar sobre acaba entendo tudo. O ser humano é uma caixinha de surpresas e precisamos entender o que acontece ao nosso redor para diminuir essa estranheza com o novo.

    • Quando a esquerda vira realidade (para “descomplicar”)

  • Felipe Carmine

    Quanto sensacionalismo, se é uma mulher que gosta de homens então é uma mulher hétero, afinal o que é ”ter cabeça de homem”??, já namorei uma mina um pouco mais máscula que o normal, que curtia futebol e lutas, não tem nada demais nisso, a não ser que seja hermafrodita, se não for… então é uma mulher hétero, parem de complicar.

  • Le Zuero

    @flaviomorgen:disqus se tudo é construção social, a própria construção social não seria tb uma construção social? Essa tal ideologia de gênero nem com a cabeça cheia de maconha eu consigo entender.

  • Victor Hugo Mattos Garcia

    Não falta muito pra globo defender o sexo entre irmãos e levantar a bandeira de que o amor vence barreiras….. Parece inconcebível hoje mas não dou uma década pra ser tema de novela.

    • Jeferson Borges

      Se ela fizer isso vai contar a história da bíblia, pois é lá que tem incesto.

      • Pobretano

        Hum, eu não lembro de a Bíblia explicitamente aprovar o incesto, ainda mais com um plot de “amor proibido pela sociedade retrógrada”.

  • DeaDPo0L_

    Seu gênero é feminino, sua sexualidade é heterossexual, se for assim como mostrado na matéria(não assisto novela) ela é uma crossdresser, uma pessoa que tem o interesse,fetiche, costume ou por identidade usa vestimentas do sexo oposto, sua orientação não importa. Se a personagem define-se como “homem” e gosta de homens ela é crossdresser,ou seja, é travestismo assim como os travesti, só que no caso dela não é homossexual. Mas embora para mim esses caso não passa de transtorno de personalidade, pelo menos é o que eu acredito.

  • DeaDPo0L_

    Na verdade ela seria os(as) crossdressers, creio que seja isso, veste diariamente como sexo oposto, mas sexualmente são heterossexual. Na verdade tem bastante gente assim. É assim eles sente mais confortável em vestir roupas do sexo oposto. Mas a novela que deu um nó no cérebro pois Trans homem gay ‘-‘, se querem abordar um assunto pelo menos fale o nome correto ou não trate sobre simples.

    • Camila Oliveira

      Mas aí não são as mesmas pessoas que defendem ideologia de gênero que dizem que não existe esse negócio de roupa de menino e de menina? Ela poderia ser em tese um homem transexual gay não-cisgênero. Inclusive, se eu fosse um homem branco hétero e quisesse ser membro da panelinha do pessoal de humanas ia dizer que eu era uma mulher trans lésbica não-cisgênero. Ia marcar muitos pontos na tabela da opressão. Ainda aproveitava pra me declarar transracial.

      • Ilbirs

        Já vi que o pessoal começou a entender o tal conceito de soma de resultantes para maior lugar de fala que impera no marxismo cultural.

  • J Paulo

    Na vida real ela seria, no máximo, uma mulher que gosta de mulheres. Uma homossexual. Uma lésbica. Mas na agenda esquerdista sempre tem que haver uma dramaticidade tosca: um homem aprisionado num corpo de mulher (tadinha), como num filme de terror, a alma da pessoa aprisionada pelo demônio que se apoderou daquele corpo….

  • Eu já adianto que a “bandeira” que a novela provavelmente vai tentar abordar depois que ela ficar parecendo um homem: O garoto com quem ela é envolvida muito provavelmente (se tentarem manter algum realismo) vai rejeitar a ideia da namorada ter se transformado num “homem sem pinto” – eu acho que não fazem crescer um no procedimento, né? Não que eu realmente queira saber ou me importe.
    Aí imaginem só o personagem do garoto ser culpado por ser… “superficial” quando a namorada dele… Virar seja lá o que for que ela vai virar?

    Esperem a criminalização de quem preferir se relacionar com homens que parecem homens ou mulheres que parecem mulheres.

    • Ilbirs

      Nesse ponto há terreno preparado, pois temos aquela famosa sakamoteada dizendo que mulher não é o que tem ou teve entre as pernas, que foi dessakamoteada pelo próprio Flavio Morgenster quando este ainda era parte do Implicante. Logo, se um homem heterossexual não quer relacionamento com transexual, seria uma não-pessoa por simplesmente querer uma mulher de fato e direito, portadora de dois cromossomos X e por conseguinte sistema reprodutivo formado com ovários, útero e as outras partes integrantes. Como observou, deixei aqui a coisa precisa o suficiente para que até esquerdista ou isentão entenda o que pessoas normais entenderiam como a natural preferência de um homem heterossexual por alguém do sexo oposto e não o que se pareça com o sexo oposto.
      Vamos agora transferir a mecânica disso para o incrível caso do “trans-homem gay”: imaginando que na novela teremos Ivana tomando doses de testosterona para aquisição de aparência masculina e outros quetais, é claro que o cara com quem ela se encontra envolvida irá ficar decepcionado de ver que Ivana virou Ivan e um amor eros vai passar a no máximo aquele ágape que se tem por outro ser humano. Aqui cai-se na inversão revolucionária: se você gostava dela em contexto eros por ser o que era, por que deixou de gostar quando ela fez o que fez? Observe-se aqui que inclusive há uma redução de amor para pura atração sexual, algo que a esquerda já fez naquela segunda metade dos anos 1960 e que foi continuando segundo a mecânica do pé na porta. Ao contrário do ocorrido com o senador Romário e que foi sakamoteado conforme indicado no parágrafo anterior, aqui vai importar sim o que há no meio das pernas se for mantido. Se não for mantido, aí vai ser o mesmo discursinho de que o cara está se deixando levar pelo ambiente ao redor, tal qual na sakamoteada. Em qualquer dos caso, o culpado será um homem heterossexual (aqui não sabendo se cristão, pois estamos falando de obra ficcional) e, portanto o monstro que deve ser exterminado da face da Terra caso não aceite ser “desconstruído” (condição essa que não se aplica quando se é um esquerdista em posição de liderança).

  • Existe uma diferença entre ler Judith Butler e não ser um mongolóide para acreditar naquilo. Prefiro olhar para a realidade: tem uma trosoba e uma racha na jogada, é sexo hétero, não importa o tamanho do transtorno de personalidade que precisa ser curado com psiquiatra na cabeça dos envolvidos.

    • Cecília Novaes

      nossa, é assim, com essa elegância, que vc responde os comentaristas?

      • Bebeto_maya

        É o que eles merecem por utilizar argumentos esdrúxulos. Aliás, acreditar em Judith Butler é pedir esse tipo de reação ou total indiferença. Nem ela consegue aplicar o que prega. Prefere ferrar a mente dos outros.

  • Cidadão Jauense

    Apologia ao crime, distorção de realidade, Miimimimi, “empoderamento”. Realmente, tem que pensar muito antes de trazer uma criança para o mundo.

  • Metron Knows

    A tentativa torpe de destruir o que é fato, homem e mulher, culmina no inapelável desespero sem sentido da doutrinação radical esquerdista.

  • Ailton Ferreira

    Ou seja, ela é hétero, mas com a lavagem cerebral diária ela se força a ser gay pra não ser excluída do padrão “moral” aceito atualmente.

    É incrível como a maioria dos problemas psicológicos existentes é causada por pura babaquice desnecessária.

  • Phillip Garrard

    As investidas contra a normalidade natural estao cada vez mais forte. Desliguem a TV e facam pressao contra essa emissora fakenews

  • Fabio P

    Ou seja, é um transtorno mental que merece tratamento e não ser empurrado para as pessoas como se fosse algo normal. Politicamente correto se transformou em algo que não deveria ter saído do manicômio.

  • WillMDias

    Ahahaha.

    Que nó cerebral.

    A personagem, nasceu mulher (“biologicamente” falando), mas se sente um homem no corpo desta mulher, porém sente atração por outros homens.
    Como fica isso?

    Então, ela(e), é uma mulher hétero (biologia) e homem gay (“mental).

    Muito capaz disso virar tema nos programas da emissora.

    Se não fosse o senso, eu não iria saber disso.
    Tv bobo devidamente desligada por aqui.

    Ótimo trabalho.

    • Felipe Carmine

      E qual a diferença pra uma mulher comum??, ela quer ter nome de homem?

      • WillMDias

        Cara.
        Eu não sei.

        Não acompanho o folhetim da rede bobo.

        Alguns “transgêneros” que vi em documentários ou matérias, costumam mudar o nome, mas não sei se isso é uma regra.

        Estou muito por fora sobre essa questão.

        • Carlos Caramujo

          Não tem o que “estar por dentro”: é doença e ponto.

          • WillMDias

            OK.

            “Estou muito por fora sobre essa questão.”

            Quis dizer que não tenho embasamento sobre o assunto e por isso não posso emitir uma opinião.

      • WillMDias

        Sobre a diferença física, para mim, não existe.

        Talvez ela(e), tenha diferenças no comportamento.
        Deve ser comportar e agir como um homem.

        É realmente confuso.

      • Andrea Matos

        Pelo o que entendi, ela se atrai por homens, porém, não se identifica com seu corpo de mulher.
        OU SEJA,quer ter corpo de homem, mas não é GAY.
        Entendeu?

  • Christian Zangrando

    TAQUEOPARIU… Falando sério antes achava que as coisas tinham saído do sério. Agora tenho certeza que o mundo foi dominado pelos idiotas. Perdeu-se o mínimo do bom senso. Esse relativismo moral já tá dando mais que nojo.

  • Vítor

    Lembra o homem urso porco do Al Gore

  • Carmmando Alves

    ta ficando chato este mundo !!!

  • Isildur Bagual

    Agora eles vão começar a negar a negação para evocar uma palavra gatilho. Que tempos vivemos…

  • Carlocarlus

    Agenda socialista é isso aí.

    • Cecília Novaes

      socialista?
      Não sabia que marx teorizou a transsexualidade. Pelo menos em O Capital não tem nada disso

      • Então leia a Escola de Frankfurt, revolução sexual, maio de 68, Judith Butler, Michel Foucault, todo o movimento feminista pós-60… Socialismo é anterior e também posterior a Marx, não foi o único homem a escrever sobre isso. E lá no Manifesto já há a idéia de destruição da família, que a Escola de Frankfurt inverteu em sua relação com a propriedade.

Sem mais artigos