Vocês pediram, vocês imploraram, vocês encheram o saco sem nenhum espírito natalino – e chegou o episódio especial de Natal de nosso podcast!

Guten Morgen, Brasilien, hohoho! Fazemos nosso episódio especial de Natal para nosso público tão intelectual – e, obviamente, para os mongolóides que se acham intelectuais que ousam nos ouvir – para explicar, muito sucintamente, a grande pergunta desses tempos tão sombrios: afinal, por e para que comemoramos o Natal?

PUBLICIDADE

Por que o Natal é chamado de Tempo do Advento? Por que é considerada pelo Ocidente a data mais importante do ano? Por que não é apenas um feriado, é toda uma época?

E nossos ouvintes intelectuais, via de regra universitários de extrema-Humanas, “críticos” e fãs de Leandro Karnal, o que têm a dizer do Natal (rimou)?

O Natal, nessa época de politicamente correto, é considerado uma data machista, patriarcal, obscurantista, opressora e xxxxxista e xxxxxfóbica. A mesa cheia ofende os socialistas, o peru ofende as feministas, os presentes ofendem os de pai ausente e a alegria ofende a esquerda. Os tios fazem piada do pavê, os pais elogiam Jair Bolsonaro, os primos são fãs de Donald Trump e ninguém acha legal o textão de problematização da sociedade falocêntrica representada na árvore de Natal dito antes da hora em que Jesus Cristo nasceu.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Mas será que eles sabem do profundo significado do Natal? Dizer que é apenas uma data patriarcal e obscurantista, e que todos deveríamos ser ateus e festejar o nascimento de Isaac Newton como nos mandou nosso profeta e senhor, o Dr. Richard Dawkins, é mesmo uma explicação tão profunda como querem nossos vãos intelectuais mirins?

Nesse episódio, daremos uma volta filosófica, teológica, intelectual e antropológica sobre a importância do nascimento de Jesus Cristo e do cristianismo inclusive para os ateus, seculares e progressistas.

PUBLICIDADE

Foi graças ao Natal que mesmo os mais radicais progressistas e ideólogos modernistas puderam apregoar seu ódio ao Natal. Até mesmo noções científicas que temos (oh, pobre Richard Dawkins!) são dependentes do Natal… e da Bíblia!

Explicando um pouco o que significa o nascimento de um redentor, o sacrifício do Senhor de um Reino que não é deste mundo, o tempo da Nova (e Eterna) Aliança que começa nesta data, a eucaristia e o Verbo Encarnado (tudo explicado em linguagem acadêmica moderninha) é que mesmo os mais radicais revolucionários podem problematizar na ceia de Natal comendo da comida da família e enchendo o saco contra Deus e o mundo, literalmente.

Aliás, até o Estado laico depende exclusivamente do nascimento de Jesus e do cristianismo! 😱

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

E mais: Eric Voegelin, a Revelação, o papel de Israel na geopolítica contemporânea, os discursos de Donald Trump, espetáculos natalinos contra ONGs chatas, hashtags e, claro, heavy metal nesse tão desejado e pedido episódio especial de Natal do Guten Morgen – o seu podcast preferido!

A produção, é claro, é de Filipe Trielli e David Mazzuca Neto no estúdio Panela Produtora, (ouçam o CD “É Natal” no Spotify!), com imagem de Gustavo Finger da Agência PierGuten Morgen, Brasilien, e feliz Natal a todos! 🎄 🎅

—————

Contribua em nosso Patreon ou Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!

Conheça o curso Introdução à Filosofia Política de Olavo de Carvalho, ministrado por Filipe Martins na plataforma do Instituto Borborema. Conheça também o curso Infowar: Linguagem e Política de Flavio Morgenstern.

Faça sua inscrição para a série Brasil: A Última Cruzada, do Brasil Paralelo, e ganhe um curso de História sem doutrinação ideológica por este link. Ou você pode aproveitar a promoção com as duas temporadas por apenas 12 x R$ 59,90.

—————

Sem mais artigos