Ooops...

PT posta tweet comparando Bolsonaro à Venezuela e depois apaga

Algum estagiário quis atacar Bolsonaro comparando-a a uma ditadura. Apenas "se esqueceu" que o PT apóia formalmente a ditadura da Venezuela de Chávez e Maduro...

O PT está dando uma aula ao Brasil do que é ser sofista: construir um discurso sofisticado e cheio de palavras pedantemente pomposas, mas sem o menor conteúdo lógico. Pode se contradizer e negar a realidade: o que importa é usar palavras pesadas, para impressionar circunstantes abobados. No caso do discurso político atual, palavras como “ditadura” e “Venezuela” contam mil pontos cada.

Nesta segunda-feira, algum estagiário desavisado controlando a conta do Twitter do “PT no Senado” (verificada) atacou Bolsonaro escrevendo: “O cenário mais provável, caso Bolsonaro faça o que prometeu, é de uma grande Venezuela, com o sério agravante de que aqui o chefe de Estado não hesitaria em promover repressão massiva e violenta contra opositores”.

Talvez ninguém tenha avisado o desajustado estagiário de que o PT… ehrr… apóia e financiou a ditadura venezuelana, até mesmo cedendo o mesmo marqueteiro e fazendo campanha televisiva com Lula apoiando os ditadores Hugo Chávez e Nicolás Maduro. E, claro: que nem Chávez, nem Maduro hesitaram em promover repressão massiva e violenta contra opositores.

A conta do PT no Senado apagou o tweet logo depois, provavelmente por preferir continuar apoiando a ditadura brutal na Venezuela do que em usar o exemplo de totalitarismo violento e sanguinário para atacar Bolsonaro. Melhor só xingá-lo de algo que não respingue no próprio PT, não é? Soubessem o mínimo sobre lógica elementar e nossos jornalistas fariam o PT passar vergonha por meses só por isso.

Mas a internet não esquece.

—————

A revista Senso Incomum número 3 está no ar, com a reportagem de capa “Trump x Kim: Armas nucleares, diplomacia e aço”. Assine no Patreon ou Apoia.se!

Consiga uma vaga de emprego ou melhore seu cargo fazendo seu currículo no CVpraVC!

Sem mais artigos