fbpx

Digite para buscar

Incompetência ou desonestidade

Tabata Amaral divulga fake news sobre voto auditável

Nos solidarizamos caso a deputada tenha perfil derrubado, ou seja convocada a depor na CPMI das fake news, ou seja alvo de busca, apreensão e quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático depois dessa

Compartilhar
Tabata Amaral divulga fake news sobre voto auditável

Das duas, uma: ou Tabata Amaral (sem partido) é incompetente, ou é intelectualmente desonesta. Este é um daqueles casos em que não existe uma “terceira via”, se é que o leitor me entende.

Durante uma transmissão ao vivo, a deputada afirmou:

“Eu ouço falar em voto impresso, a única coisa que me vem à cabeça é compra de voto. A quem interessa que você tenha um comprovante? A quem interessa que você possa tirar uma foto? A quem compra voto.” (Grifo nosso).

A fala da deputada dá a entender que o eleitor teria um comprovante para mostrar a um terceiro. A jornalista Ana Paula Henkel desenhou para a deputada:

A Proposta de Emenda Constitucional que prevê a impressão do comprovante do voto, PEC 135/2019, foi apresentada na Câmara em 13 de setembro de 2019 – há quase três anos, portanto. O texto traz, NA PRIMEIRA PÁGINA, o seguinte texto:

“§ 12 No processo de votação e apuração das eleições, dos plebiscitos e dos referendos, independentemente do meio empregado para o registro do voto, é obrigatória a expedição de cédulas físicas conferíveis pelo eleitor, a serem depositadas, de forma automática e sem contato manual, em urnas indevassáveis, para fins de auditoria.” (Grifo nosso).

Se Tabata Amaral não sabia deste detalhe, é hora de seus eleitores cobrarem mais empenho de sua representante. Não é possível que a deputada não tenha lido um projeto tão importante quanto este.

Atualização

Na manhã desta quarta-feira (04), Amaral usou o twitter para se justificar e atacar seus opositores:

Desde 2009, o artigo 91-A da Lei das Eleições prevê que “fica vedado portar aparelho de telefonia celular, máquinas fotográficas e filmadoras dentro da cabina de votação.”

Mesmo assim, está todo mundo careca de saber que esta prática JÁ ACONTECE – ainda que proibida – invalidando completamente o argumento da nobre deputada. 

Tente outro, Excelência.


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1