Digite para buscar

Estado policial

“Terroristas domésticos”: FBI investigará pais contrários à Teoria Crítica Racial

Conselhos educacionais enviaram carta ao presidente Biden comparando pais preocupados com a educação dos filhos a "terroristas domésticos"

Compartilhar
"Terroristas domésticos": FBI investigará pais contrários à Teoria Crítica Racial

O Procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, anunciou na segunda-feira (04) que solicitou ao FBI a investigação de denúncias de “ameaças de violência” contra administradores de escolas, membros de conselhos educacionais, professores e funcionários de escolas públicas.

O pedido de Garland acontece dias depois de a National School Boards Association (NSBA), associação que congrega conselhos educacionais dos EUA, enviar uma carta ao presidente Joe Biden alegando que “as escolas públicas da América e seus líderes educacionais estão sob ameaça imediata.”

“Como esses atos de violência e ameaças contra funcionários de escolas públicas aumentaram, a classificação dessas ações hediondas pode ser o equivalente a uma forma de terrorismo doméstico e crime de ódio”, diz trecho do texto da NSBA.

A carta afirma que os protestos dos pais de alunos seriam motivados por “propaganda que alega a falsa inclusão da Teoria Crítica Racial em sala de aula e nos currículos escolares.”

“Esta propaganda continua, apesar do fato de a Teoria Crítica Racial não ser ensinada em escolas públicas sendo uma matéria de faculdades de Direito e cursos de pós-graduação, muito além do escopo de aulas do ensino básico e médio”, diz trecho da carta.

A vice-presidente da associação Parents Defending Education, Asra Nomani, publicou um vídeo no Twitter endereçado ao Departamento de Justiça e ao FBI, em protesto contra a ação de Garland: “É assim que se parece um terrorista doméstico? Vocês estão criminalizando a paternidade e devem desculpas ao povo da América.”

O grupo de Nomani tem investigado como os conselhos escolares dos Estados Unidos implementam a “cultura woke” nos currículos, incluindo a Teoria Crítica Racial.

Em outro tuíte, Nomani afirmou que o procurador-geral Merrick Garland emitiu uma “declaração de guerra” aos pais ao anunciar a iniciativa.

O governador da Flórida, Ron DeSantis (Partido Republicano) também se manifestou: “O procurador-geral Garland está instrumentalizando o Departamento de Justiça ao usar o FBI para perseguir pais e silenciá-los por meio de intimidação”, escreveu ele em um tweet.

“A Flórida defenderá os direitos de liberdade de expressão de seus cidadãos e não permitirá que agentes federais reprimam a dissidência.”

Embora o NSBA negue, há diversos relatos sobre a Teoria Crítica Racial em sala de aula, conforme Senso Incomum já relatou em algumas ocasiões:

Teoria Crítica Racial: Pai acusa escola de ensinar filha que “sua mãe é do mal” por ser branca
Escolas na Carolina do Norte vão ignorar “pais brancos” por “se beneficiarem do sistema”
Professores acusam matemática de ser racista
Matemática reforça supremacismo branco, dizem “especialistas”

Com informações de The Epoch Times, NY Post e Fox News


Seja membro da Brasil Paralelo por apenas R$ 10 por mês e tenha acesso a horas de conteúdo sobre liberdade de expressão!

Conheça a Livraria Senso Incomum e fique inteligente como nós

Vista-se com estilo e perca amigos com a loja do Senso Incomum na Panela Store

Faça seu currículo com a CVpraVC e obtenha bônus exclusivos!

Assuntos:
Leonardo Trielli

Leonardo Trielli não é escritor, não é palestrante, não é intelectual. Também não é bombeiro, nem frentista, não é formado em economia e nem ciências políticas. Nunca trabalhou como mecânico e nem bilheteiro de circo. Twitter: @leotrielli

  • 1